Por karilayn.areias

Rio - O ator britânico Johnny Flynn estava fazendo uma série quando surgiu a oportunidade de viver o físico Albert Einstein numa nova produção. Mas quase que o papel do famoso cientista lhe escapa. Convencido por uma amiga a gravar um vídeo e enviar para o diretor e produtor Ron Howard nos Estados Unidos, Flynn só topou interpretar Einstein na fase jovem na série ‘Genius: A Vida de Einstein’ após uma conversa por Skype com Howard.

Johnny Flynn (E%2C detalhe) e Geoffrey Rush%3A Einstein jovem e adulto Divulgação

“Einstein era uma espécie de revolucionário, viveu tempos extremos e sofreu tragédias. Tudo isso é fascinante de interpretar”, diz o ator.

Com dez episódios, a série estreia neste domingo, às 22h, no canal Nat Geo. Enquanto Johnny Flynn faz Einstein na juventude, o premiado ator Geofrey Rush dá vida ao gênio da ciência na fase mais velha. “Interpretá-lo foi interessante, um desafio fantástico. Ele está constantemente em conflito e confuso, mas sempre curioso e interessado em compreender o mundo ao seu redor”, conta Flynn.

Baseada no livro ‘Einstein: Sua Vida e Seu Universo’, de Walter Issacson, a superprodução mostra como Albert se tornou um cientista brilhante, mas também explora aspectos pouco conhecidos de sua história, como suas tumultuadas relações pessoais — a paixão adolescente por Marie Winteler (Shannon Tarbet), o amor por Mileva Maric (Samantha Colley), sua primeira mulher, e o casamento com sua prima Elsa Einstein (Emily Watson). “Ele se apaixonou várias vezes”, frisa o ator.

Flynn, de 34 anos,também é músico e vocalista da banda de folk-rock inglesa The Sussex Wit. Em comum com Einstein, ele toca violino (a música ajudava o cientista a abrir a mente para o trabalho). Para o ator, uma das cenas mais fortes da série é o funeral de Hermann Einstein (Robert Lindsay), pai do jovem cientista, numa sinagoga em Praga. “Foi emocionante”, diz. 

Você pode gostar