‘Novo Mundo’: Dulcina é obrigada pelo marido a voltar para Portugal

Antes de ‘Novo Mundo’, Joana interpretou Anita, em ‘Liberdade, Liberdade’

Por O Dia

Rio - Dulcina (Joana Solnado) é mais uma “vítima” que não resistiu ao charme do príncipe Dom Pedro (Caio Castro). Em ‘Novo Mundo’, a mulher do general Avilez (Paulo Rocha) não pensou duas vezes em seguir seus impulsos e se entregar nos braços do galã real. Mas quando ela descobre que o marido quer matar o príncipe, a dama enfrenta o militar e ameaça matá-lo. A partir do capítulo de amanhã, a mulher será desarmada por Pedro, que a impede de fazer uma loucura.

Joana Solnado com Paulo Rocha em ‘Novo Mundo’Divulgação

“Eu acho que tudo na vida tem suas justificativas, mas nem tudo é justificável. Ela tem uma razão para isso acontecer. Ela entra em uma paixão fulminante por Dom Pedro, que talvez dê uma sensação de leveza e juventude. O marido é general, militar, não a trata como ela queria. Quando sabe que o marido quer matar Dom Pedro, sua grande paixão, a Dulcina pira”, explica a atriz. Quando questionada se perdoaria uma traição, Joana não sabe responder. “Sem circunstância, não sei. Não me ponha a pensar nisso agora”, afirma, aos risos.

Joana Solnado conta que, depois desse episódio, Avilez mandará a mulher de volta para Portugal. “É um caminho sem volta. Só se ela fosse para um convento se tratar, e voltasse com outra paginação. Todo mundo merece uma segunda oportunidade”, justifica a atriz portuguesa, que faz sua terceira novela brasileira. “Sou filha de brasileira e o sotaque funciona como um botão. Consigo trocar do português de Portugal para o brasileiro, e vice-versa, com naturalidade”, entrega, misturando os sotaques.

Antes de ‘Novo Mundo’, Joana interpretou Anita, em ‘Liberdade, Liberdade’. O papel começou pequeno, mas no final da trama ela foi responsável por matar Rubião (Mateus Solano). “Foi uma grande surpresa para mim. Um final lindamente trágico. Nas ruas, em Portugal, as pesssoas nunca me viram fazendo vilã, e viram a menininha que amavam fazendo papel pesado”, diverte-se.

Aos 33 anos, Joana tem uma carreira de destaque como atriz em Portugal. Ela estreou na TV de lá aos 16 anos e é reconhecida nas ruas por suas mocinhas. Mas faltavam mais desafios. Foi nesse momento em que ela deixou de lado uma proposta para viver uma personagem de destaque em uma trama portuguesa para se jogar na dramaturgia brasileira. “Eu tenho muita vontade e disponibilidade para trabalhar tanto no Brasil quanto em Portugal. O desafio maior é o Brasil. Aqui parece que é um novo mundo se desbravando”, entrega.

A paixão pela arte vem do DNA. Joana é neta de Raul Solnado, um dos grandes nomes do humor português, como se fosse o Chico Anysio para os lusitanos. Aliás, o avô de Joana trabalhou com Jô Soares e o próprio Chico Anysio. “Meu avô veio para o Brasil e conheceu a minha avó, que na época era noiva do (Gianfrancesco) Guarnieri. Eles se apaixonaram e foram para Portugal”, revela ela, que queria ser médica quando mais nova.

Terminada a sua participação em ‘Novo Mundo’, Joana volta para Portugal no começo de maio. Mas ela tem um desejo: “Sinto que falta uma personagem brasileira, seria um desafio maravilhoso”. 

Últimas de Televisão