Por felipe.martins

Rio - O projeto de lei com o reajuste do piso regional ainda não está pronto. O secretário estadual da Casa Civil, Leonardo Espíndola, vai se reunir com o secretário de Trabalho, Arolde de Oliveira, e o presidente do Conselho de Trabalho e Renda (Ceterj), Laudelino da Costa Mendes Neto, para definir o texto final da mensagem para apreciação do governador Luiz Fernando Pezão. Só depois o projeto seguirá para a Assembleia Legislativa do Rio. Não há data marcada para a reunião, segundo a Casa Civil.

Na quarta-feira, representantes das seis centrais sindicais que fazem do conselho (CUT, UGT, Força Sindical, Nova Central, CTB e CGTB) informaram que cobrariam do governo o motivo da demora no enviado a mensagem à Alerj. A proposta aprovada pelo conselho em dezembro do ano passado pela primeira vez por consenso seguiu para Casa Civil em seguida. O aumento previsto é de 10,37%.

Com o reajuste, o piso das doméstica, por exemplo, subirá de R$953,47 para R$1.052,34. O projeto prevê ainda a redução do número de faixas salariais de oito para seis. Ao ser aprovado pelos deputados estaduais, o aumento deve ser pago com data retroativa a 1º de janeiro.

Você pode gostar