Remédios subirão 12,5%, diz fabricante

Se o aumento for confirmado, vai superar, pela primeira vez em dez anos, a inflação, que fechou 2015 em 10,67%

Por O Dia

Rio - Cálculos da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) indicam que os remédios podem ficar até 12,5% mais caros a partir do próximo dia 31. Se o aumento for confirmado, vai superar, pela primeira vez em dez anos, a inflação, que fechou 2015 em 10,67%, segundo a agência Estadão Conteúdo. “As oscilações do câmbio e o aumento expressivo da energia elétrica tiveram grande influência”, destaca a entidade.

No ano passado, nesta mesma época, o ajuste autorizado foi de 7,70%, 6,35% e 5% nos preços de remédios, dependendo da categoria do produto. O governo ainda não divulgou oficialmente de quanto será o reajuste e informou que o processo está em consulta pública. A expectativa é que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) libere o percentual de reajuste nos próximos dias.

O governo divulga aumento de preços dos medicamentos com base no IPCA, que em fevereiro foi de 0,90%.São usados outros três fatores para definir a correção: produtividade da indústria; concorrência das classes terapêuticas para estabelecer faixas distintas de reajustes; e câmbio e energia elétrica. 

Últimas de Economia