Por felipe.martins

Rio - De médico e de hipocondríaco cada um tem um pouco, e é por isso que o hábito de consultar o “Doutor Google” a qualquer dorzinha faz tanto sucesso. Só que a automedicação é um perigo, e o resultado das buscas, com muita frequência, apresenta opiniões e achismos quase criminosos. Foi por essas e por outras que a Google fechou esta semana um acordo com o prestigiado Hospital Albert Einstein, que passa a fornecer informações aos leigos, orientando-os corretamente e ajudando no diagnóstico.

Informações confiáveis com a chancela do Hospital Albert EinsteinReprodução

Agora, cada vez que o internauta fizer esse tipo de consulta “clínica” informal, o resultado vai exibir também um quadro (destacado em vermelho na imagem abaixo) que resume dados sobre a doença pesquisada: sintomas, estatísticas, tratamento básico, primeiros socorros. As buscas a respeito de ziquiziras e afins respondem por 5% do total de visitas ao site.

Um litro de óleo indevidamente descartado pode contaminar até 25 litros de águaDivulgação

ESTAMOS INDO LONGE DEMAIS

Um chinês de 19 anos de idade foi condenado a três anos de prisão por vender a própria filha para comprar um iPhone. O valor da transação foi o equivalente a R$ 13 mil. A menina tinha apenas 18 dias de vida, de acordo com o jornal “People’s Daily”. A mãe dela disse que não sabia que se tratava de uma negociação ilegal... O episódio mostra que nossa paixão pela tecnologia talvez tenha passado do limite.

ESTAMOS INDO LONGE DEMAIS II

Se o exemplo da nota acima ainda parecer pouca coisa, esta talvez mostre mais enfaticamente que estamos mesmo exagerando no uso de aparelhos digitais. Cansado de levar broncas do pai porque estava abusando no uso do celular, um garoto chinês, de 11 anos de idade, resolveu automutilar-se. Pegou uma faca e decepou o dedo indicador esquerdo. Foi reimplantado, mas ainda não se sabe se vai voltar a funcionar direitinho. Fica o alerta.

FACILITAR É A SOLUÇÃO

Quem tiver o celular roubado poderá pedir o bloqueio do aparelho usando apenas o número da linha. Antes, era necessário informar à operadora o IMEI, combinação de 15 algarismos que ninguém nunca sabe localizar (embora esteja na nota fiscal ou na caixa do aparelho. Por curiosidade, digite *#06# e você verá o IMEI). Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, a medida vai facilitar o registro de furtos.

NOTA

FIQUE DE OLHO

Vale baixar o aplicativo Cadê o Prefeito?, que se propõe a ser a rede social do cidadão. A ideia é que cada usuário publique ali as queixas sobre os problemas com que se depara na sua cidade. As reclamações, que serão encaminhadas às autoridades competentes, podem ser classificadas em áreas como Saúde, Educação, Segurança e Transporte, entre outras.

Cada uma delas apresenta outras subcategorias, tornando virtualmente ilimitada a lista de alvos das queixas. O app também permite que o usuário envie foto ou vídeo, além de compartilhar o material no Facebook, Twitter, WhatsApp, e-mail etc — inclusive anonimamente. No fim das contas, o aplicativo pode ser um termômetro mostrando como o eleitor percebe o que seus políticos e executivos estão fazendo pela cidade. E isso, naturalmente, pode pesar no resultado das urnas. É bom ficar de olho. Por enquanto, o aplicativo está disponível apenas para smartphones com Android.

A MICROSOFT criou uma campanha para estimular o estudo de programação para as meninas. As aulas serão via www.eupossoprogramar.com, usando o game Minecraft e a animação Frozen, da Disney. As participantes terão um certificado validado pela Code.org e pela Microsoft.

Email: [email protected]

Você pode gostar