Sucesso nos Negócios: Vantagens de ser autônomo ou MEI

Em ambos os casos, existem particularidades que podem proporcionar um diferencial competitivo para o seu negócio

Por O Dia

Rio - O mercado formal de trabalho registrou saldo negativo de 104.582 empregos em fevereiro. O pior resultado para o mês desde 1992, de acordo com os dados do Ministério do Trabalho. O único setor que contratou no mês passado foi a administração pública. Com o desemprego crescente, muitos decidem empreender e trabalhar por conta própria e aí surge dúvida: atuar como autônomo ou Microempreendedor Individual (MEI)? Em ambos os casos, existem particularidades que podem proporcionar um diferencial competitivo para o seu negócio.


PERGUNTA E RESPOSTA

“Trabalho como freelancer, mas pago meu INSS como autônomo. Pretendo montar um home office. Penso em me formalizar, mas tenho receio de fracassar e ter problemas e gastos para cancelar o registro. O que faço?”, Marcus Vinícius, por email

Prezado Marcus Vinícius,seja como autônomo ou Microempreendedor Individual (MEI), é necessário avaliar o que melhor se enquadra à realidade do seu negócio. Como autônomo, além da contribuição ao INSS, você precisará recolher o ISS em 11% sobre o valor de serviços se for prestado à pessoa jurídica. Porém, por não ter CNPJ você corre o risco de perder algumas oportunidades, pois muitas empresas precisam comprovar o serviço com a nota fiscal.

Como MEI, o custo com recolhimento do ISS e do INSS é unificado por meio do pagamento do DAS no valor de R$ 49,00 pela prestação de serviços. Este custo é mensal e independe do faturamento ou do preço cobrado. Você terá um CNPJ e poderá emitir nota fiscal sem pagar mais por isso. A formalização é gratuita e dispensa contador. Veja se sua atividade faz parte da lista do MEI e conheça as regras de funcionamento no site www.portaldoempreendedor.gov.br .

Cezar Vasquez é superintendente do Sebrae-RJ

Últimas de Economia