Caixa Econômica encarece empréstimo imobiliário

Taxas de juros do crédito para compra de imóvel até R$ 750 mil sobe de 9,9% para 11,22% e acima deste valor, de 11,5% para 12,5%

Por O Dia

Rio - A Caixa Econômica Federal divulgou nesta segunda-feira que aumentou as taxas de juros do seu crédito imobiliário com recursos da caderneta de poupança, para imóveis residenciais, comerciais e mistos.  As novas taxas, que estão em vigor desde o último dia 24, variam de acordo com o grau de relacionamento com a Caixa (tabela ao lado). A taxa do empréstimo pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) — que financia imóveis até R$ 750 mil — para clientes sem relacionamento com o banco (taxa balcão) passou de 9,9% para 11,22%.

A taxa balcão para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) — mais de R$ 750 mil — passa de 11,50% para 12,50%.  Segundo a Caixa, o aumento dos juros é “decorrente de alinhamento ao atual cenário econômico”. Os juros dos financiamentos do Programa Minha Casa, Minha Vida e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) não aumentaram.

Clique sobre a imagem para visualizar a nova tabela de taxasDivulgação

O aumento dos juros ocorre depois do anúncio de medidas para reaquecer o mercado imobiliário, anunciadas pela Caixa no último dia 8. Entre elas, a volta da possibilidade de fazer um segundo contrato de crédito imobiliário, no caso de pessoas que ainda estão pagando pela compra de um imóvel.

Também foi elevada a cota de financiamento para os imóveis, que antes era de 50% e passou para 70% nos contratos pelo Sistema de Financiamento Habitacional (SFH) com valor até R$ 750 mil. A Caixa anunciou ainda a reabertura do crédito para imóveis usados em que os interessados poderão contratar até 80% do valor do imóvel.

Os aumentos de juros da Caixa fará as prestações dos empréstimos imobiliários subirem de R$ 125 até R$1.019, dependendo do valor do imóvel e do tipo de relacionamento do mutuário com o banco, segundo levantamento da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Para o financiamento de imóveis no valor de R$ 300 mil pelo SFH com prestações fixas (tabela Price), por exemplo, as parcelas mensais subirão de R$ 156,47 a R$ 266,48. As taxas para essas linhas, que estavam entre 9,3% e 9,9% ao ano passaram para uma faixa entre 10% e 11,22% ao ano. As parcelas dos financiamentos de imóveis de R$750 mil ou mais pelo SFI com prestações fixas (tabela price) subirão, segundo a Anefac, de R$ 200,75 a R$ 1.019,22. 

Últimas de Economia