Mutirão vai dar oportunidade de negociar dívidas em atraso

Evento reunirá 19 empresas no Largo da Carioca e ocorrerá na sexta-feira de 9h as 17h

Por O Dia

Rio - Em um período em que seis de cada dez famílias brasileiras estão endividadas, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNC) feita em abril, ter oportunidade de negociar o débito com o credor representa alívio no orçamento doméstico. E os consumidores inadimplentes têm a possibilidade de acertar as contas na próxima sexta-feira em um mutirão organizado pelo Procon Estadual. O evento acontecerá no Largo da Carioca, no Centro do Rio, e reunirá 19 empresas de setores como telefonia, TV por assinatura, financeiro, varejo e serviços públicos. 

Vão participar do mutirão com representantes as seguintes empresas: Oi, Claro, Embratel, Vivo, Nextel, TIM, Net, Sky, Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Santander, Caixa Econômica Federal, Ampla, Light, Cedae, Leader, Via Varejo e Ricardo Eletro. O atendimento será feito em tendas montadas na praça para o atendimento ao público. No mutirão “Acertando as Contas” —, o endividado poderá renegociar dívidas para ficar zerado e poder comprar presentes para o Dia das Mães.

No último mutirão em 15 de março%2C mais de 1%2C6 mil atendimentos foram feitos pelo Procon EstadualDivulgação

“Queremos com este mutirão dar ao consumidor o acesso às empresas, na intenção de facilitar o diálogo, visando a negociação e a solução dos problemas apresentados", explica Soraia Panella, coordenadora de Atendimento do Procon Estadual.

No local, as pessoas também poderão resolver pendências referentes a relações de consumo. No último mutirão, em 15 de março, o Procon Estadual fez um total de 1.643 atendimentos.

NOME LIMPO NA PRAÇA

Além de negociar dívidas, os consumidores também vão ter condição de verificar se estão com nome sujo na praça. Representantes do Clube de Diretores Lojistas do Rio (CDLRio) estarão no mutirão para fazer consultas gratuitas ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC).

“O objetivo da ação é criar condições mais favoráveis para que o consumidor em débito possa negociar diretamente com o credor”, destacou o presidente do CDLRio, Aldo Gonçalves. O Procon informou que o consumidor deve levar documentos pessoais (identidade, CPF e comprovante de residência), além dos comprovantes de compras ou contas que estão com problemas e que podem ser resolvidas.

Promoções serão testadas para ver se descontos são reais

O Procon Estadual vai avaliar se as promoções oferecidas via internet estão enganando os consumidores. Os preços para o Dia das Mães anunciados em sites serão comparados a valores coletados com antecedência. O objetivo é certificar se os descontos oferecidos são reais. As empresas que cometerem irregularidade serão autuadas.

Já o Procon Carioca preparou uma cartilha com dicas e orientações para o Dia das Mães. O documento explica as regras a serem seguidas nas relações entre fornecedores e consumidores. As duvidas podem ser tiradas no site www.rio.rj.gov.br/web/proconcarioca.

COMO OBTER VANTAGEM

Os consumidores que forem ao mutirão do Procon devem tomar algumas providências antes de tentar negociar suas dívidas. Fazer o levantamento de quanto deve e quanto pode pagar por mês é uma delas, orienta a coordenadora do Procon estadual, Soraia Panella. Os consumidores podem tentar negociar a redução dos juros dos seus débitos. “Nos mutirões as empresas baixam as taxas do crédito de maneira mais expressiva”, afirma.

Se há uma reserva financeira para quitar o valor total do empréstimo, essa é a oportunidade ideal para negociar um desconto. Para o credor, é sempre interessante receber o dinheiro de imediato, por isso vale tentar uma redução da dívida ao quitá-la, orienta.

“Pagar a dívida à vista somente se tiver reserva financeira”, avalia Soraia. E acrescenta: “Não vale a pena pegar empréstimo em outra instituição para quitar os débitos. Isso pode aumentar o endividamento do consumidor”. Outra alternativa é demonstrar condições de cumprir o pagamento se reduzir o valor das prestações ou aumentar a quantidade de parcelas. Ela alerta que é importante que o consumidor cumpra o acordo, pois em caso de inadimplência a empresa pode não reduzir os juros para renegociar o débito.

Últimas de Economia