Por felipe.martins

Brasília - O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou nesta segunda-feira a criação de uma linha de crédito de R$ 5 bilhões para financiar capital de giro de micro e pequenas empresas. Como contrapartida, os pequenos empresários devem manter empregos por um ano e contratar mais jovens aprendizes.

A nova linha Proger Urbano — Capital de Giro será formada com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), sendo R$2 bilhões de depósitos especiais do fundo para micro e pequenas empresas e R$ 3 bilhões do BNDES, originários do empréstimo constitucional de 40% do FAT.

Segundo o ministro do Trabalho e Previdência, Miguel Rossetto, a nova linha fomenta a atividade das micro e pequenas empresas, especialmente do ramo de comércio e serviços, preserva empregos e cria novas oportunidades à juventude.

“São duas as contrapartidas: manutenção do nível dos postos de trabalho por e 12 meses subsequentes ao contrato, e as empresas com dez ou mais funcionários, devem contratar pelo menos um aprendiz”, disse Rossetto, que acrescenta: “Isso é importante para a juventude, que vai ter oportunidade de trabalhar e estudar”, avaliou. O limite de financiamento com verbas do FAT é de R$ 200 mil por empresa.

.

Você pode gostar