Por cadu.bruno

Rio - O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) teve queda de 0,36% em março comparado a fevereiro deste ano, sendo o 15º mês seguido de retração da economia. Na comparação de março deste ano com o mesmo mês de 2015, a retração chegou a 6,31%. No primeiro trimestre deste ano em relação a igual período do ano passado, houve queda de 6,27%, de acordo com os dados sem ajustes para o período. Na comparação com o quarto trimestre de 2015, com dados dessazonalizados (ajustados para o período), houve retração de 1,44%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic, hoje em 14,25%. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos. Mas o indicador oficial sobre o desempenho da economia é o Produto Interno Bruto (PIB), a soma das riquezas produzidas pelo país), elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

FGV

Já a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou ontem alta de 3% an atividade econômica de março em relação a fevereiro, segundo o seu Monitor do PIB. O indicador registrou queda de 0,3% no primeiro trimestre do ano, na comparação com o último trimestre de 2015, sendo a quinta queda consecutiva nesta comparação.

Segundo a FGV, o consumo das famílias caiu 1,6%, enquanto a formação bruta de capital fixo (os investimentos) recuou 2,5%. As exportações cresceram 7,7%, enquanto as importações caíram 20,6%, segundo o Monitor do PIB. Sob a ótica da produção, o setor de serviços ainda mostra desempenho negativo (-0,4%), mas essa é a melhor taxa dos últimos cinco trimestres.

Você pode gostar