Administração Pública é o foco do concurso da Fiocruz

São 21 vagas para assistente e dez para especialista. Salário chega a R$ 16 mil

Por O Dia

Rio - Muitas são as expectativas em relação ao concurso da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), anunciado esta semana. São 21 vagas para assistente técnico, que exige Nível Médio, e dez para especialista em ciência e tecnologia, neste caso para quem tem exige doutorado. Ambas carreiras pedem comprovação de experiência. Para assistente, a exigência profissional é de um ano e ter o Ensino Médio. O salário inicial será de R$3.418,81, incluindo o auxílio-alimentação. Para especialista, são seis anos de trabalho e salário de R$16.867 para jornadas de 40 horas semanais.

Marcos Junior%2C 27 anos%2C o Persevere%2C diz que vai focar em administraçãoDivulgação

As inscrições serão aceitas pelo site da Fiotec, organizadora da seleção, de 4 de julho a 8 de agosto. E provas serão em 25 de setembro. A principal dúvida dos concurseiros é como se preparar para o certame da fundação. Rachel Almeida, especialista do site Concurso Virtual, chama a atenção para a exigência de experiência na função e, recomenda especial atenção à Administração Pública.

“São cobrados conhecimentos de constitucional, arquivologia, Direito Administrativo, inclusive a Lei 8.112/90, que rege os servidores públicos civis, a Lei 8.666/93, que estabelece normas sobre licitações e contratos, noções de atendimento ao público e recursos humanos e administração financeira orçamentária, e outros tópicos de suma importância”, pontua Rachel.

“As disciplinas de língua portuguesa e raciocínio lógico são muito importantes, até porque português são 15 questões e, uma errada, pode jogar o candidato para baixo. Em contrapartida, uma questão certa poderá elevar e muito a pontuação dele. Então tudo é prioridade num estudo para concursos, pois as provas têm surpreendido os candidatos cada vez mais”, complementa a especialista.

E é justamente em Administração Pública que o concurseiro Marcos Antônio Junior, 27 anos, aluno do curso Persevere, tem concentrado seus estudos. “Decidi fazer essa seleção porque já venho estudando há muito tempo. Como até agora a área que pretendo fazer ainda não lançou edital vi na prova da Fiocruz uma oportunidade”, avalia. “Vou aproveitar o conhecimento adquirido e focar nas disciplinas que são novidades pra mim, como as que são relacionadas à administração pública”, diz.

Últimas de Economia