Coluna do Servidor: 13º salário será pago no dia 15 de julho

O decreto com a decisão do prefeito Eduardo Paes será publicado no Diário Oficial nos próximos dias e vale para os funcionários das administrações Direta e Indireta

Por O Dia

Rio - Os 165 mil servidores ativos, inativos e pensionistas do Município do Rio vão receber a primeira parcela do 13º salário no dia 15 de julho. A Prefeitura do Rio confirmou a informação, conforme antecipou a Coluna em 1º de julho. O decreto com a decisão do prefeito Eduardo Paes será publicado no Diário Oficial nos próximos dias e vale para os funcionários das administrações Direta e Indireta.

Na primeira parte da gratificação natalina não haverá incidência de descontos de Imposto de Renda e contribuição previdenciária. Os abatimentos serão feitos quando a prefeitura quitar a segunda parcela do 13º, que deve ser liberada na primeira quinzena de dezembro — como nos últimos anos.

O decreto com a decisão do prefeito Eduardo Paes será publicado no Diário Oficial nos próximos dias e vale para os funcionários das administrações Direta e IndiretaLevy Ribeiro / Agência O Dia

Já o reajuste dos servidores do município ainda não foi acertado. No entanto, a prefeitura deve antecipar o aumento devido às eleições municipais, que ocorrerão em outubro. Isso porque, se o reajuste for concedido em data próxima ao pleito, o prefeito — que lança o deputado federal Pedro Paulo Carvalho (PMDB) como candidato — pode enfrentar problemas com a Justiça Eleitoral e adversários políticos.

A correção anual será baseada no acumulado do IPCA-E nos últimos 12 meses terminados em março, medido pelo IBGE, que ficou em 9,95%.

Crédito sem data

O Estado do Rio continua sem previsão de data de pagamento da 2ª parcela do salário de maio dos servidores. Mas a ajuda de R$ 2,9 bilhões da União (para a Linha 4 do metrô e ao pagamento da RAS dos PMs) e a renegociação da dívida estadual com o governo federal abrem caminho para que o estado defina em breve uma data para quitar a folha.

Secretário confirma

O secretário estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Junior, vai cortar 30% das gratificações das secretarias que a pasta incorporou — que são as de Prevenção à Dependência Química e Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida. “Já cortei 30% das gratificações da Secretaria de Saúde e cortarei das secretarias que recebi”, disse ele.

Acúmulo de funções

A incorporação das duas pastas pela Saúde foi determinada pelo governador em exercício do Rio, Francisco Dornelles, no pacotão de medidas de corte de gastos. No decreto, Dornelles também vinculou à Saúde o Conselho Estadual Para Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e o Fundo para a Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa.

Reunião de Picciani

Comissão do Sindicato dos Profissionais de Educação do Rio se reúne hoje com o presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB). A categoria está em greve há três meses e quer a ajuda do parlamentar para negociar com Dornelles o reajuste salarial. O sindicato também recorreu da decisão do TJ de corte de ponto dos grevistas.

Encontro na Alerj

O secretário estadual de Defesa Civil e comandante dos Bombeiros, coronel Ronaldo Alcântara, se reunirá também com Picciani e o líder do governo na Alerj, Edson Albertassi (PMDB). O militar vai discutir com os parlamentares a edição de decreto prometido pelo Executivo para reduzir o tempo de promoção dos bombeiros.

Promoção

O decreto foi prometido quando a Alerj aprovou o PL que aumenta para mais 4 anos o tempo de serviço para ingresso na reserva remunerada. Na época, Alcântara firmou compromisso de reescalonar os interstícios (alteração de posto) para praças do grupo que inclui técnicos de enfermagem, atendentes de consultório dentário e técnicos de raio-x.

Últimas de Economia