Pesquisar preço é a estratégia para economizar

Consumidores esperam dias da semana com promoções específicas para comprar produtos mais baratos nos mercados

Por O Dia

Brasília - A alta nos preços dos alimentos é a maior desde 2008, aponta pesquisa do IBGE. Inclusive, o arroz e o feijão, a combinação mais querida entre os brasileiros, foram os produtos que mais pressionaram o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15). A prévia da inflação oficial, passou de 0,4% para 0,54% neste mês.

Além dos cereais, outros alimentos ficaram mais caros de um mês para o outro. Os preços do leite e de seus derivados, por exemplo, subiram, em média, 15,54% de junho para julho.

Com isso, o consumidor deve ter o hábito de pesquisar em vários mercados e comprar em dias de ofertas específicas. A dona de casa Cristiane Coelho, 37 anos, compara preços antes de ir às compras. “Verifico os valores em mais de dois mercados perto de casa e vou comprando aos poucos e onde o preço for menor”, conta.

Pensando em facilitar a vida do consumidor, O DIA listou algumas ofertas para esta semana. No Mundial, por exemplo, o filezinho de frango congelado Nat sai a R$ 8,98 e o queijo bola Marília a granel a R$23,90, o quilo. Na mesma rede, o sabão em pó Omo Multiação (2kg) está em promoção por R$16,50. Já no Extra, a cerveja Skol Lata (473ml) sai a R$2,55 e o iogurte Grego Danone (400g) R$ 4,79.

No Assaí Atacadista, o creme de leite Parmalat (200g) é vendido a R$1,69. O azeite Quinta do Cais extra virgem (500ml) sai por R$ 6,39.

No Prezunic, segunda-feira é dia de comprar carne: a bisteca suína congelada (Kg) sai a R$ 7,98 e a pá ou o acém bovinos a vácuo, por R$ 13,98, o quilo. No Guanabara, o café Sul de Minas (500g) custa R$6,98 e o fígado bovino R$8,98.

Últimas de Economia