Por thiago.antunes

Rio - O Ministério das Relações Exteriores do Brasil divulgou nota neste sábado lamentando o fato de que a Venezuela "não tenha logrado êxito", no prazo que se encerrou ontem, em seus esforços para cumprir os compromissos assumidos pelo país para adesão ao Mercosul.

De acordo com a nota, houve "descumprimento unilateral de disposições essenciais para a execução do Protocolo de Adesão da Venezuela ao Mercosul". A nota informou ainda que, nos próximos dias, Brasil e os demais membros do Mercosul (Argentina, Paraguai e Uruguai) vão examinar a questão "à luz do direito internacional" e manterão a coordenação do bloco.

O cumprimento das disposições por parte da Venezuela era fundamental para o país confirmar sua adesão plena ao bloco e, mais que isso, para assumir o comando do bloco. Isso porque a presidência do Mercosul está vaga desde 29 de julho, quando o Uruguai deu como encerrada sua função na liderança. No dia seguinte, a Venezuela se autoproclamou na presidência, o que de fato está previsto na regra de rodízio entre os sócios.

O problema é que Paraguai, Argentina e Brasil não apoiam a nova coordenação. O Paraguai, inclusive, questiona se a Venezuela cumpre a cláusula democrática prevista nas regras do Mercosul. Levantamentos davam conta de que a Venezuela conseguiria cumprir apenas 60% das normas até a data limite. 

Você pode gostar