INSS envia semana que vem carta do pente-fino a 4.078 segurados no Rio

Gerências-executivas do estado aguardam listagem de quem será chamado para perícia

Por O Dia

Rio - O primeiro lote de cartas para convocar segurados do INSS no Rio que recebem auxílio-doença há mais de dois anos para revisão de perícia começa a ser enviado na semana que vem. De acordo com o instituto, a leva inicial de correspondências do pente-fino vai chamar 4.078 segurados em todo o estado.

As gerências-executivas do Estado do Rio aguardam ainda a liberação da listagem com o nome de quem terá que agendar a perícia e comparecer ao posto do INSS a fim apresentar documentos, laudos e passar por perícia. Quem não comparecer terá o benefício suspenso.

“Já temos o quantitativo de peritos que vão fazer as revisões. Na Gerência Centro cerca de 60% dos médicos aderiram ao programa”, explica Flávio Souza, gerente-executivo da unidade.

Conforme instrução normativa, durante a semana as agências do INSS poderão agendar até quatro perícias a cada dia e por perito. Já nos fins de semana e feriados, os exames podem ser feitos por meio de mutirão, até o limite de 20 por dia, por perito.

O pente-fino terá ainda outros lotes de convocação. No total serão chamados 41.344 segurados que recebem auxílio-doença no estado. Em um segundo momento, as correspondências serão enviadas a 88.570 aposentados por invalidez que tiveram benefício concedido há mais de dois anos e não fizeram perícia no período.

No país serão convocados 530 mil segurados que recebem auxílio-doença decorrente de ordem judicial.

O INSS em Brasília confirmou ao DIA que em algumas localidades do país, “as cartas já começaram a ser enviadas desde a última segunda-feira”. O instituto ressaltou que a execução das revisões será organizada por cada gerência-executiva, “que considerará a sua capacidade operacional para definir a data de início da ação”. “O Rio deve começar a convocação nos próximos dias”, informou por meio de nota.

Serão divulgados balanços mensais do pente-fino. O primeiro deles está previsto para o fim de outubro.

Últimas de Economia