Programa de incentivo de viagens para aposentado terá mudanças

Após revogação, Ministério do Turismo e Abav vão discutir como ampliar Viaje Mais Melhor Idade

Por O Dia

Rio - O programa Viaja Mais Melhor Idade passará por ajustes para ampliar a oferta de pacotes turísticos mais vantajosos para aposentados e pensionistas. Questionado pelo DIA sobre a revogação da iniciativa (Portaria 207 publicada no Diário Oficial de sexta-feira) implementada em 2007, o Ministério do Turismo informou que fará alterações para adequar o projeto “à nova realidade brasileira”.

Devido à suspensão do programa, amanhã representantes das agências de turismo discutirão com representantes da pasta alternativas para impulsionar o setor. O programa chegou a oferecer descontos e formas parceladas de pagamento.

“O modelo foi revogado e está em curso um diagnóstico para a criação de um novo projeto de incentivo à viagem desse público específico”, explicou o ministério por meio de nota.

Idosos representam 25% dos turistas que viajam pelo país%2C segundo dados do Ministério do TurismoMinistério do Turismo / Divulgação

Para o presidente da Associação Brasileira de Agentes de Viagem (Abav), Edmar Bull, o Viaja Mais Melhor Idade precisa passar por ampla reformulação. “Foi um sucesso por três anos. Mas é preciso dar cara nova, trazer novos agentes e ampliar o leque de serviços”, opina. “Idosos querem conhecer o Brasil. E não viajam só em alta temporada”, alerta, ressaltando que o programa tinha como foco trechos determinados durante a baixa temporada.

Ainda de acordo com o dirigente, entre as opções para fomentar o mercado está ampla discussão do setor para oferecer mais descontos e serviços para idosos. “A estratégia tem que englobar transportes, hotelaria, aluguel de carros, restaurantes. Dessa forma contemplaria todos os lados”, avalia.

As mudanças no programa são necessárias, segundo Yedda Gaspar, presidente da Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas do Rio (Faaperj). “Várias vezes fui comprar passagens pelo programa e sempre criavam empecilhos”, reclama. Ela questiona ainda as limitações dos modais oferecidos.

O ministério informou ainda que “a expectativa é conseguir atender a pluralidade de perfis da pessoa idosa”. Esse público é extremamente importante para o setor, uma vez que representa atualmente mais de 25% dos turistas que viajam pelo país”, diz a nota.

Altos e baixos do projeto

Lançado em 2007 pela então ministra Marta Suplicy, o programa injetou crédito e criou condições favoráveis para o embarque de idosos, mas perdeu fôlego e foi suspenso após três anos. Uma crise política no Ministério do Turismo, que resultou em mudanças no comando da pasta no setor aéreo, fez o governo redirecionar o Viaja Mais Melhor Idade.

Relançado em 2013 pelo então ministro Gastão Vieira, o programa concedia desconto de até 70% nos pacotes e tinha financiamento pelo Banco do Brasil e Caixa Econômica.
O projeto provocou aumento das taxas de ocupação dos prestadores de serviços turísticos e, consequentemente, a redução dos efeitos da sazonalidade no setor. Em 2010, foram vendidos cerca de 600 mil pacotes turísticos, gerando mais de R$ 531 milhões em receita.

Últimas de Economia