Sucesso nos Negócios: O que considerar na hora de dar preço?

Empresas precisam ter certeza de que oferecem a melhor oferta sem perder a lucratividade

Por O Dia

Rio - O preço de venda é um fator que influencia o cliente em suas decisões de compra, pois, em mercados com um grande número de concorrentes, as empresas precisam ter certeza de que oferecem a melhor oferta sem perder a lucratividade.

Entretanto, a falta de informações da maior parte dos empresários proprietários de micro e pequenas empresas sobre seus custos e o mercado em que atuam faz com que tenham dificuldades para defini-lo.

É comum encontrar empresas que, em situação de forte concorrência, adotam estratégias de baixar preços sem critério e têm prejuízos, inviabilizando o negócio. Para fixar o preço de venda de sua mercadoria, de forma a assegurar o lucro, você deve conhecer a importância da formação do preço e a estrutura criteriosa do mesmo.

Pergunta e resposta

O que devo leva em conta na formação de preço de um produto?” Fátima da Silva, Engenho de Dentro 

Prezada Fátima, em tempos de retração do consumo, o preço passa a ser um grande diferencial na hora do cliente escolher um produto e o desafio é estabelecer um valor que garanta a venda sem comprometer a qualidade. Um dos pontos mais importantes para se chegar a um preço atrativo é analisar a concorrência.

Com a ajuda da internet, você pode fazer rapidamente pesquisa de preço dos produtos similares e, a partir dessa avaliação, ter ideia do valor praticado pelos concorrentes. Também é importante observar a demanda de mercadorias/produtos/serviços que pode ser atendida em determinados períodos e eventos especiais, como festas e datas comemorativas.

Além da variável externa, é preciso levar em conta alguns aspectos internos, como custo, despesa, histórico de vendas, estoque e formas de pagamento. Vale a pena lembrar os elementos básicos de composição dos preços: custo e despesa. Custo é o gasto feito para produzir. Despesa é o gasto relativo à administração das empresas que não contribui diretamente para a produção.

Cezar Vasquez é superintendente do Sebrae-RJ

Últimas de Economia