Comércio do Rio registra maior índice de inadimplência do ano

Dívidas quitadas nas lojas da cidade diminuíram 2,5 % e as consultas caíram 7,2 %.

Por O Dia

Rio - A inadimplência no comércio carioca cresceu 2,8% em relação ao mesmo mês do ano passado. É o maior índice registrado para setembro desde 2001, de acordo com os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio).

As dívidas quitadas (número de consumidores que colocaram em dia seus compromissos atrasados) no comércio lojista da cidade diminuíram 2,5% e as consultas (item que indica o movimento do comércio) caíram 7,2 %.

Em relação ao mês anterior (agosto), as consultas e a inadimplência cresceram 3,9% e 2,2%, respectivamente e as dívidas quitadas diminuíram 2,3%.

No acumulado dos nove meses do ano, de janeiro a setembro, as consultas e as dívidas quitadas recuaram, respectivamente, 7% e 2,2% e a inadimplência subiu 1,8% em comparação a igual período de 2015.

De acordo com o presidente do CDL-Rio, Aldo Gonçalves, normalmente em vésperas de épocas de grandes datas comemorativas, como o Dia das Crianças, os consumidores correm para a colocar as contas em dia para comprar mais. “Mas dessa vez o número de dívidas quitadas caiu, o que mostra que o consumidor está freando as compras, apesar de o Dia das Crianças ser uma das datas mais importantes para o comércio”, afirmou Gonçalves.

Medo do desemprego

Índice de Medo do Desemprego alcançou 61,2 pontos em setembro, valor 6,7 pontos inferior ao de junho, informou a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Mesmo com a queda a situação ainda é crítica, observa a CNI. É que o indicador está 13 pontos acima da média histórica, que é de 48,2 pontos. De acordo com a pesquisa, o medo do desemprego é maior entre as pessoas com renda familiar de até dois salários mínimos (R$ 1.760).

O índice ficou em 66,9 pontos entre os com renda familiar até um salário mínimo e em 67,9 pontos entre os com mais de um e até dois salários mínimos em setembro, valores superiores à média nacional de 61,2 pontos.

Últimas de Economia