Coluna do Servidor: Estado busca alternativas para pagar

Funcionários ativos da Educação continuam recebendo no começo do mês com recursos repassados pelo Fundeb, como ocorre nos últimos meses

Por O Dia

Rio - Como não terá mais verbas federais para pagar os salários de outubro dos servidores da Segurança Pública — os R$ 2,4 bilhões repassados pela União com a decretação do estado de calamidade já foram usados nos meses anteriores —, o governo do estado tenta traçar uma estratégia para conseguir arcar com a folha deste mês.

Segundo uma fonte, para evitar atrasar os vencimentos de outubro sem nem mesmo ter cumprido o calendário estipulado pelo próprio estado até o décimo dia útil de novembro, a possibilidade, em vez de começar a pagar o pessoal da Segurança no início do mês, como vem fazendo, é pagar todo o funcionalismo até o fim do prazo do calendário de pagamento.

Os servidores ativos da Educação, no entanto, continuam recebendo no começo do mês com recursos repassados pelo Fundeb, como ocorre nos últimos meses. Mas tudo ainda está no campo dos estudos, conforme a fonte. O estado ainda enfrenta dificuldades para conseguir pagar os salários de setembro. Além disso, a Justiça voltou a autorizar os arrestos das contas.

A fonte confidenciou ainda para a coluna que o grande risco mesmo é em relação do décimo terceiro salário. Não há nenhuma previsão de como o governo vai se virar para pagar o abono de Natal dos servidores este ano.

Pezão não garante

O governador licenciado Luiz Fernando Pezão (foto ao lado) confirmou que não há garantia de pagamento do 13º e dos salários dos policiais em dezembro. “Tem uma série de medidas que vamos tomar até o final do mês e esperamos viabilizar os pagamentos. Todo mês tem sido uma luta grande. A gente espera que isso (atraso nos pagamentos) não ocorra”, disse.

Assembleia amanhã

Os professores da rede municipal de Duque de Caxias entraram em greve esta semana por tempo indeterminado, contra atrasos e parcelamentos dos salários do funcionalismo municipal. A paralisação inclui também os profissionais de Saúde. Amanhã será realizada uma assembleia geral para definir os rumos da greve no município.

Fonasef convoca

O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Federais (Fonasef) convoca o funcionalismo a participar do Dia Nacional em Defesa dos Serviços Públicos, com paralisação das atividades no próximo dia 25. O objetivo é defender os empregos, além de repudiar a PEC 241, que congela os gastos públicos.

PEC ameaçadora

Além da luta pelos serviços públicos, a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) orienta os filiados a organizarem debates tendo em vista uma greve geral prevista para 11 de novembro. Para a entidade, a PEC 241 ameaça diretamente a política de valorização do salário mínimo, principalmente.

Licença em votação

A Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) vota hoje projeto de lei do deputado Paulo Ramos (Psol) que muda as regras para solicitação de licença para assuntos particulares de policiais e bombeiros militares. De acordo com a proposta, o afastamento poderá ser concedido a quem tiver mais de cinco anos de serviço efetivo.

Rotina estressante

Atualmente, de acordo com as regras vigentes, só podem pedir licença os policiais ou bombeiros que possuam mais de dez anos de serviço efetivo. “A rotina do trabalho, hoje, desses profissionais, é cada dia mais estressante e perigosa e a legislação deve ser adequada à realidade”, ressaltou o parlamentar.

Com Matheus Gagliano

Últimas de Economia