Sucesso nas Compras: Carnês voltam para facilitar compras

Nota-se a preferência entre os consumidores formados pelas pessoas de mais idade, as de classes menos favorecidas e as que ainda não têm o cartão de crédito

Por O Dia

Rio - O varejo sempre busca ações para garantir uma fidelização da clientela. O carnê é uma estratégia antiga que volta a ser usada em alguns estabelecimentos. Em lojas, principalmente as estabelecidas no interior e as mais tradicionais, há possibilidade dos clientes comprarem pagando pelo carnê.

Nota-se a preferência entre os consumidores formados pelas pessoas de mais idade, as de classes menos favorecidas e as que ainda não têm o cartão de crédito. Estes perfis de clientes são os que garantem a continuidade de várias opções na hora de parcelar as compras.

No carnê, a compra pode ser parcelada em mais vezes do que no cartão de crédito. No caso de ter uma opção entre pagar com cartão de crédito parcelado ou no carnê, verifique quanto ficará a soma total das parcelas de ambos e opte pelo mais barato, é claro.

Pergunta e resposta

"Algumas redes de varejo voltaram a oferecer parcelamento no carnê. Os juros dos carnês geralmente são os mesmos do cartão de crédito? É melhor comprar em carnê ou parcelar os produtos em cartão de crédito?" Maria Quitéria, Flamengo

Apesar do grande crescimento das vendas parceladas através do cartão de crédito, o tradicional carnê se mantém vivo em muitas lojas. O cartão de crédito é bem mais cômodo porem bem mais perigoso quando se diz respeito ao atraso de pagamento nas faturas.

A aposta dos lojistas em manter este meio de pagamento oferecido ao seu consumidor está muito mais ligada a uma relação de fidelização do varejista com seus clientes do que propriamente oferecer uma vantagem de pagamento.

Para muitos varejistas a forma de pagamento através do carnê é até incentivada, pois, além de facilitar para aquele que não tem outras formas de comprar e pagar parcelado, ainda faz com que os clientes se movimentem até a loja mais vezes— aumentando assim uma maior exposição aos produtos e, como consequência , aumenta as possibilidades de realizar outras venda ao mesmo consumidor.

Quem compra no carnê, em alguns casos, ainda consegue prazos maiores de financiamento do que através do cartão. Já os cartões de crédito possuem parcelamentos que variam de 6 a 12 meses e no carnê o financiamento pode chegar até 24 vezes.

Para o consumidor que tem uma dívida assumida através do pagamento pelo carnê, caso ele venha a ter necessidade de renegociar uma parcela em atraso , ele terá uma maior flexibilidade na hora de renegociar este débito; coisa não muito fácil quando se paga com cartão de crédito, se ocorre a mesma situação de atraso.

Observa-se que o carnê é mais usado em grande volume em lojas de eletroeletrônicos e eletrodomésticos, nas demais lojas o cartão de crédito ou pagamento em dinheiro são os mais utilizados.

Quintarelli é consultor do Grupo AZO

Últimas de Economia