Estado paga servidores nesta sexta

Pagamento foi feito três dias antes do prazo final estabelecido pelo governo do Estado. No entanto, cronograma descumpre mais uma vez liminar do STF

Por O Dia

Rio - O governo do estado informou, nesta sexta-feira, que todo o funcionalismo público que ainda não havia recebido os salários de setembro teve o crédito feito hoje. Em nota, a Secretaria Estadual de Fazenda divulgou que foram depositados na conta dos servidores o total de R$ 1,970 bilhão, valor suficiente para quitar a pendência que havia para quitar a folha do mês passado.

A secretaria havia informado à Coluna do Servidor que o pagamento seria concluído até segunda-feira, mas os créditos começaram pela manhã e ao longo de toda a sexta-feira. A pasta divulgou que o pagamento seria concluído após o término do expediente bancário.

Segundo a secretaria, a folha do mês passado começou a ser paga no dia 5, quando foram contemplados os servidores da Educação e da Segurança Pública, sendo que estes últimos receberam 70% do salário. Os 30% restantes foram pagos esta semana.

Agora, os salários saíram para o pessoal das demais áreas. A pasta ressaltou que o pagamento da folha de setembro ocorreu dentro do calendário oficial, que estabelece prazo até o décimo dia útil. Entretanto, o Supremo Tribunal Federal determinou que o crédito fosse feito até o terceiro dia útil.

O advogado da Federação das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado (Fasp), Carlos Henrique Jund, ressaltou que a quitação da folha ocorreu graças aos arrestos. 

Arresto maior

De acordo com Jund, foram arrestados aproximadamente R$ 738 milhões que, somados aos valores bloqueados nos dias anteriores foram suficientes para completar o montante que estava pendente para o pagamento dos servidores estaduais. Só na quinta, foram bloqueados R$ 223 milhões. A folha total gira em torno de R$ 2,1 bilhões.

Esclarecimento

Ao contrário do informado na edição de hoje na Coluna do Servidor, a Agetransp informou que o concurso público previsto para preenchimento de cargos já havia sido autorizado pelo governo do estado. Foi contratada a Fundação Getulio Vargas (FGV) para o processo, que acabou sendo adiado por um ano, devido à crise estadual.

Sindijustiça decide

O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado (Sindjustiça) faz na próxima segunda-feira, em 26 municípios, assembleias regionais para definir os rumos da paralisação de 24 horas, que poderá ser deflagrada na quarta-feira. Está prevista greve por tempo indeterminado partir do próximo dia 26.

Falta de reposição

O motivo da paralisação dos servidores do Judiciário fluminense é o atraso da reposição salarial que deveria ter sido feita em setembro e ausência de reajuste do salário dos servidores, que não ocorre há dois anos. Diretor-geral do sindicato, Alzimar Silva lembrou que nesses dois anos a inflação acumulada foi de 20%.

Movimento

Os professores da rede municipal de Educação de Nova Iguaçu iniciam a próxima semana os preparativos para uma greve da categoria. Na segunda-feira, haverá meia paralisação em toda a rede, nos três turnos. Na ocasião, os profissionais conversarão com os pais dos alunos sobre os problemas na rede.

Indicativo

Na terça-feira, como parte do movimento dos professores de Nova Iguaçu, os servidores farão uma assembleia, a partir das 8h30, com indicativo de 24 horas de paralisação. No mesmo dia, a partir das 14 horas, está prevista uma vigília dos trabalhadores da rede municipal de educação em frente à prefeitura.

Últimas de Economia