Evento aposta em parceria com o Jockey para atrair público

Serão 12 cervejarias, 12 food trucks e outros quatro estabelecimentos com doces. Entre as cervejarias, estão as artesanais Lhama Locca e Troppica, que figuram entre as mais vendidas do festival

Por O Dia

Rio - Uma nova opção de lazer se mistura à emoção de quem aposta nas corridas de cavalo no Jockey Club Brasileiro, na Gávea. Uma vez por mês, a tribuna social, em frente aos páreos de turfe, sedia um festival de cerveja artesanal. De sexta a domingo, vai ocorrer a terceira edição do Jockey, Turf e Beer, com expectativa de receber 10 mil pessoas. O evento é aberto ao público.

Festival de cerveja no Jockey Club chega à terceira edição. Os organizadores planejam abrir outros dois novos espaços na Zona NorteDivulgação

Serão 12 cervejarias, 12 food trucks e outros quatro estabelecimentos com doces. Entre as cervejarias, estão as artesanais Lhama Locca e Troppica, que figuram entre as mais vendidas do festival. O evento também costuma oferecer opções de gastronomia de outros países. Nesta edição, o público poderá experimentar opções da culinária alemã. Tudo ao som da banda Playmobille, que já emplacou cinco músicas em novelas depois de participar neste ano do programa SuperStar, da TV Globo.

Os organizadores adotaram uma estratégia para aumentar a integração entre o público que consome cerveja artesanal, com faixa etária entre 18 e 35 anos, com as competições de corridas de cavalo. A cada bebida comprada, o cliente tem direito a um ‘jockey money’, que dá direito a fazer aposta nos páreos. Na última edição, no mês passado, foram distribuídos 900 tíquetes. “Isso é bacana, porque também leva as pessoas que frequentam o festival ao turfe. Temos um público jovem e descontraído. Conseguimos misturar todas as tribos no mesmo local”, avalia o empresário Francisco Eduardo Magalhães, um dos idealizadores do festival.

E já há planos de expansão, em meio ao sucesso do empreendimento, que fica no Jockey Club pelo menos até dezembro de 2017. A organização deve abrir dois novos espaços na Zona Norte, mantidos sob sigilo.

Com isso, a geração de empregos deve triplicar, passando de 150 para 450, com contratações de cervejeiros, produtores, músicos, chefs e outros profissionais. “Vamos ter outros dois espaços bem localizados, com segurança e conforto, que ajudam a popularizar esse tipo de iniciativa no Rio”, avalia Magalhães.

A partir de janeiro de 2017, os próprios expositores devem ministrar cursos gratuitos sobre cervejas artesanais e gastronomia. Aliás, todos os passos do evento são compartilhados com o público. Literalmente. A página no Facebook do evento tem 1,7 mil curtidas. E, recentemente, foi criada uma conta no Instagram, para aumentar o contato com um povo que se acostumou a busca informações na internet.

Últimas de Economia