Por thiago.antunes

Rio - Os aposentados e pensionistas do INSS que recebem seus benefícios em agências do Banco do Brasil que serão fechadas devem ficar atentos. O banco confirmou ontem que a migração dos clientes para outras unidades vai começar no dia 14 de janeiro de 2017.

Todo o processo será finalizado, segundo o banco, até o dia 18 de fevereiro do ano que vem. Somente no Estado do Rio, 40 agências do BB vão deixar de funcionar para atendimento ao público. Ao todo terão as atividades encerradas 402 agências no país. 

No Estado do Rio%2C o Banco do Brasil vai fechar 40 agências de um total de 402 unidades em todo o paísReprodução

O fechamento das unidades afetará também os demais clientes do BB, entre eles os servidores públicos que recebem no banco. A migração será automática, tanto para os aposentados e os pensionistas do INSS, quanto para o restante da clientela.

O banco assegura que esse pessoal não vai precisar fazer qualquer procedimento. A instituição financeira manterá os cartões atuais e as senhas para as transações na nova unidade, mesmo que haja alteração no número da conta corrente.

A troca de agência será informada aos aposentados do INSS e aos clientes. Haverá ampla comunicação, afirma o BB. Todos os clientes afetados vão receber aviso por meio de canais diversificados: torpedo, aplicativo para celular, mensagens em terminais de autoatendimento, além de correspondências em casa. Cartazes serão colocados nas unidades.

O banco também divulgou telefones exclusivos para atendimento e esclarecimentos sobre mudanças de agência: 4003-5282 ou 0800 729 5282 para pessoas físicas e 4003-5281 ou 0800 729 5281 para empresas. A central funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 22h.

No último dia 21, o Banco do Brasil anunciou um conjunto de medidas que, além de fechar agências transformara outras 379 em postos de atendimento bancário. As mudanças prevêem ainda a redução do quadro funcional em 9.072 vagas.

Plano de aposentadoria

Também será adotado um Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada para um público potencial de até 18 mil bancários que já reúnem condições para se aposentar. Conforme o banco, a adesão será voluntária.

O BB também quer ampliar a quantidade de funcionários que atuam em jornada opcional de trabalho de 6 horas diárias. A direção do banco justificou o pacote como forma de ampliar o investimento no atendimento digital e aumentar a eficiência operacional, para se adequar ao novo perfil de clientes.

Segundo o Banco do Brasil, os cortes seriam em função da extinção de agências, e por isso há necessidade de reduzir vagas.

PL pode ser votado hoje

A Câmara dos Deputados deve votar hoje o projeto de lei que retoma o pente-fino do INSS. O PL 6.427/16, que volta com as revisões de benefícios por incapacidade concedidos a mais de dois anos, será apreciado logo após a análise do PL de combate à corrupção, o 4.850/16.

Sem a aprovação, o INSS têm sido obrigado a reagendar novamente as perícias em auxílios-doenças que já foram remarcadas. No começo de novembro a MP 739, que também garantia pagamento de bônus de R$ 60 por atendimento extra aos médicos-peritos, perdeu a validade por não ter sido votada na Casa.

O Executivo enviou o PL em substituição à MP para que as perícias não parassem. Mas saiu da pauta duas vezes.

Sem a aprovação, o INSS pode até continuar com as revisões dos benefícios, mas não tem como pagar a gratificação a 2,5 mil médicos-peritos que aderiram ao programa de revisão. Segundo a Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP), “nenhuma perícia revisional será feita até que haja norma legal que permita esse retorno”.

Na semana passada, o Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário informou ao DIA que as perícias que agendadas serão mais uma vez remarcadas.

Você pode gostar