Por thiago.antunes
Rio - As seis faixas salariais do piso regional do estado podem ter reajuste diferenciados no ano que vem. A bancada dos trabalhadores no Conselho Estadual de Trabalho e Renda vai propor que os valores das faixas 1, para empregadas domésticas, e faixa 2, para garçons, sejam corrigidos em 13%, enquanto as demais (3, 4, 5 e 6) tenham aumento de 11,5% a partir de janeiro. Segundo uma fonte do conselho, a proposta será apresentada na próxima semana.
Com a iniciativa, o salário das domésticas subirá de R$1.052,34 para R$ 1.189,14 na faixa 1. O valor da faixa 2 passaria de R$ 1,091,12 para R$1.232,96. A bancada dos trabalhadores é composta por representantes da CUT, CTB, UGT, Força Sindical e Nova Central. Em 2016, a correção do piso ficou em 10,37%, beneficiando 2,2 milhões de trabalhadores.
Publicidade
As discussões não foram fechadas. O objetivo é chegar a consenso para que seja encaminhada proposta ao governador Luiz Fernando Pezão que depois enviará projeto de lei à Alerj. Os conselheiros também analisam adequação da lei do piso à Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) em 2017.
De acordo com fontes que participam das negociações entre empresários e empregados, a proposta inicial da bancada dos patrões deve ficar abaixo do acumulado do INPC para o ano que vem. O índice está em 8,5% nos últimos 12 meses até outubro.
Publicidade
A expectativa é de que as bancadas cheguem proposta de consenso na semana que vem. Na quarta-feira está marcada reunião do Conselho Estadual de Trabalho e Renda. Na segunda ocorre audiência pública da Comissão de Trabalho da Alerj, convocada pelo deputado Paulo Ramos (Psol).