Inflação oficial recua em novembro

Alimentos ajudam a reduzir inflação oficial de 0,26% em outubro para 0,18% este mês

Por O Dia

Rio - Os alimentos registraram ligeira queda de preços de 0,2% em novembro e foram os principais responsáveis pela redução do índice de inflação oficial de 0,26% em outubro para 0,18% em novembro. Os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foram divulgados ontem pelo IBGE.

Entre os responsáveis pela deflação dos alimentos em novembro deste ano estão o feijão-carioca (-17,52%), tomate (-15,15%), batata-inglesa (-8,28%), leite longa vida (-7,03%), cenoura (-2,74%), alho (-2,24%), farinha de trigo (-1,34%) e feijão-preto (-0,77%).

Apesar das recentes quedas%2C em 12 meses o grupo continua em altaDivulgação

Entre os produtos que tiveram aumento de preços figuram a cebola (6,09%), farinha de mandioca (4,26%), pescado (3,47%), frutas (3%), frango (2,91%), hortaliças (2,14%), café moído (1,68%), óleo de soja (1,63%), cerveja (1,05%), refrigerante (0,99%) e carnes (0,22%).

Apesar das recentes quedas de preços dos alimentos, em 12 meses o grupo de despesas alimentação e bebidas continua com uma taxa acumulada (10,17%) acima da média da inflação oficial (6,99%). Em novembro, os gastos com saúde e cuidados especiais cresceram 0,57% no mês, sendo os principais responsáveis pela taxa de 0,18% da inflação oficial.

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), usado para calcular a inflação para famílias com renda de até cinco salários mínimos, ficou em 0,07% em novembro deste ano. Segundo o IBGE, no entanto, em 12 meses o INPC acumula taxa de 7,39%, acima dos 6,99% acumulados pela inflação oficial neste período.

Últimas de Economia