Por thiago.antunes
Rio - Em uma derrota para o governo, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara adiou para quarta-feira a leitura do parecer pela admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata da Reforma da Previdência.
A leitura foi postergada após deputados contrários à matéria pedirem vistas do relatório por duas sessões, antes mesmo de o documento começar a ser lido - pedido que foi acatado pelo presidente do colegiado, Osmar Serraglio (PMDB-PR), após forte pressão dos opositores.
Publicidade
Com o adiamento da leitura, a votação da admissibilidade da PEC — prevista inicialmente para a próxima quarta-feira — também deve ser adiada. Isso porque, na sessão de amanhã, o relator da proposta na CCJ, deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), terá de ler todo o relatório.
Em seguida, começará a fase de discussão do parecer. A leitura foi adiada após mais de quatro horas de obstrução à PEC na CCJ de partidos da oposição e até da base aliada, como o PSB.
Publicidade
Parlamentares contrários à PEC apresentaram vários requerimentos, como pedidos de retirada de pauta, para tentar ganhar tempo e adiar a leitura do relatório. Além do PSB, deputados do DEM e do PSD defenderam adiamento da leitura do parecer, entre eles, Marcos Rogério (DEM-RO) e Rogério Rosso (DF), líder do PSD na Câmara.