Alerj adia votação de projetos mais polêmicos do pacote de austeridade

Decisão seria tomada nesta quarta-feira. Textos tratam do aumento da contribuição previdenciária e adiamento do reajuste de servidores

Por O Dia

Rio - As votações dos dois projetos mais polêmicos do pacote de austeridade do governo foram adiadas de quarta-feira para a próxima segunda-feira, na Alerj. Os textos tratam do aumento da contribuição previdenciária — de 11% para 14% — e adiamento do reajuste de servidores da Segurança e também dos auditores da Receita Estadual.

Manifestantes protestam em frente à Alerj contra o pacote de austeridades do governo Foto%3A Luiz Ackermann / Agência O Dia

O adiamento foi anunciado nesta terça-feira pelo presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), após reunião com o secretário de Segurança, Roberto Sá, e os comandantes da Polícia Militar do Corpo de Bombeiros, e o chefe da Polícia Civil do Rio. Sindicalistas também Participaram do encontro com os deputados nesta manhã.

Na reunião, a Segurança propôs texto alternativo ao original, enviado pelo Executivo.
A proposta agora é de adiamento das parcelas do reajuste que seriam pagas em janeiro de 2017, janeiro de 2018 e janeiro de 2019 para o mês de novembro daqueles anos.

O projeto do Executivo adiava o pagamento das parcelas de reajuste para a partir de janeiro de 2020.

Últimas de Economia