Cobrança de valor diferenciado ficará por conta do lojista

MP não obriga varejo a dar descontos

Por O Dia

Rio - A cobrança de preços diferentes para compras feitas em dinheiro, cartão de débito ou cartão de crédito ficará por conta de cada lojista. Em vigor desde terça-feira, uma Medida Provisória (764) autoriza a prática em todo comércio varejista.

Mas, a MP não obriga os comerciantes a concederem o desconto e os valores vão depender de cada estabelecimento, informa o analista de Varejo, Cristiano Oliveira.
“Caso precise de fluxo de caixa, por exemplo, o lojista pode conceder mais descontos à vista”, conta. Ele ponderá que há segmentos que são mais sensíveis, como farmácias e postos de combustíveis, que já têm uma margem pequena de lucro. “Neste caso ficará a critério de cada um”, complementa.

COMPETITIVIDADE

Apesar de proibido pela regulamentação anterior, o desconto nos pagamentos à vista ou em dinheiro em espécie já vinha sendo praticado no comércio varejista, que tem liberdade de preços. O objetivo da medida, segundo o governo, é estimular a competição entre os diversos meios de pagamento e reduzir os juros do cartão de crédito. 

Últimas de Economia