Liberado saque de aplicação do FGTS

Trabalhador que tem ação da Vale e Petrobras poderá retirar valor de conta inativa a do fundo

Por O Dia

Rio - Os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aplicados em ações da Vale ou da Petrobras por trabalhadores que têm contas inativas até dezembro de 2015 também poderão ser sacados a partir de fevereiro. O governo anunciou em 22 de dezembro a possibilidade de saque integral de contas inativas do fundo.

A aplicação dos recursos do FGTS em ações dessas empresas, chamada de Fundo Mútuo de Privatização (FMP), não aceita mais novas adesões, mas os resgates podem ser feitos. 

Para sacar o valor específico do investimento em ações, o trabalhador deve procurar o banco escolhido para administrar as aplicações. Os investimentos na Vale ou na Petrobras foram permitidos nos anos 2000. A conta do FGTS fica inativa com a rescisão do contrato de trabalho ligado a ela.

Antes, a regra estabelecia que para os trabalhadores com carteira assinada pudessem retirar o saldo, o limite era de até R$ 1 mil em contas inativas, e caso estivessem desempregados por, pelo menos, três anos ininterruptos.

A mudança vai permitir que cerca de 10,2 milhões de trabalhadores retirem todo o saldo das contas inativas até 31 de dezembro de 2015. A medida foi tomada pelo governo para estimular a economia ao longo de 2017. A estimativa é que serão liberados mais de R$30 milhões.

Em fevereiro, o Ministério do Planejamento anunciará um calendário de saque com base na data de nascimento dos trabalhadores, assim como ocorre com o pagamento do abono salarial do PIS/Pasep..

Consulta em saldo

Para saber quanto tem na conta do FGTS, o trabalhador pode consultar o saldo pelo site da Caixa Econômica, pelo aplicativo FGTS Trabalhador, disponível gratuitamente para smartphones e tablets nos sistemas Android, iOS e Windows Phone.

É necessário digitar o número de Identificação Social (NIS) e cadastrar senha. O saldo pode ser acessado com Cartão Cidadão, em terminais de autoatendimento da Caixa.

Últimas de Economia