Por bianca.lobianco
Publicado 04/02/2017 19:18 | Atualizado 05/02/2017 19:46

Rio - Os preparativos para o desfile do Bloco dos Aposentados no Carnaval do Rio deste ano estão a todo vapor. O enredo de 2017 vai homenagear os 100 anos das caixas beneficentes, que deram origem aos fundos de pensões e de aposentadorias. Na última sexta-feira, os aposentados esquentaram os tamborins e levavam a sério o ensaio para o desfile que está marcado para o dia 24 de fevereiro, sexta-feira de Carnaval.

Bloco dos Aposentados vai homenagear os 100 anos das caixas beneficentesDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

dealizado e organizado pela Federação das Associações dos Aposentados e Pensionistas do Estado do Rio (Faaperj), o bloco sai todos os anos desde 1991 e este ano mais uma vez vai marcar presença na avenida. A expectativa é de que mil pessoas compareçam e se esbaldem durante o desfile.

Os componentes da agremiação vão começar a se concentrar a partir das 15h no Buraco do Lume, na Rua São José, no Centro. O bloco percorrerá a Avenida Graça Aranha até chegar ao local previsto para a dispersão na esquina da Rua Santa Luzia, na Cinelândia, às 19h.

Como em anos anteriores, o desfile também servirá para os aposentados protestarem por melhores condições de vida e respeito aos direitos dos idosos. As propostas do governo Temer para a Reforma da Previdência também serão alvo das manifestações. 

A coluna publica a letra do samba, cujo enredo é 100 anos de Caixinha Beneficentes de Crédito Mútuo. Os autores são Ney do Pagode, Jesus Chiquinho Tradição, Chiquinho Portela e Ton Anania. 

Ouça o samba do Bloco dos Aposentados


Samba dos Aposentados

100 anos de caixinha
beneficentes de crédito mútuo


Parabéns, lá se vão 100 anos
Das caixinha beneficientes
Quando o bolso chorava sem dinheiro
Era o socorro desse povo guerreiro
Hoje é só consignado
É arapuca para levar nosso trocado

Refrão
O sonho acabou...
Vem de Brasília a lei do circo e pão
Aposentado vive de pires na mão

Quando chega o fim do mês
Dou um porre na tristeza outra vez
“PT” da vida, sem dindim estou
Vico com a corda no pescoço
Sem as cooperativas vou roendo o osso

Brasília a nossa pátria educadora
Sem crédito mútuo o povo chora
A corrupção o nosso país devora

Você pode gostar