Atêlie aposta em cupcakes, musses, tortas e bolos para enfrentar a crise

Confeitaria também prepara alunos para empreender. Curso formou 500 pessoas em 2016

Por O Dia

Rio - Quem tem gosto por preparar uns docinhos e anda procurando aquele trabalho extra, a busca por qualificação pode ser uma boa alternativa. Em apenas um ano de funcionamento, um ateliê em Ipanema que promove cursos para o preparo de receitas já formou cerca de 500 alunos, indicando um caminho para um bom negócio.

A iniciativa também ganha espaço nas redes sociais. A grade com as turmas podem ser consultadas nas redes sociais, com o nome ‘Ateliê de Confeitaria Emanuel Pinheiro’, que tem cerca de 40 mil seguidores no Facebook e Instagram.

Com passagens por grandes redes de hotéis e estabelecimentos do gênero%2C chef Emanuel Pinheiro aprendeu a arte da confeitaria na FrançaDivulgação

Cada dia da semana, o curso aborda um tema diferente. Há cursos de bolos, cupcakes, macarrons, tortas e musses. Com a Páscoa se aproximando, o chef Emanuel Pinheiro conta que os pedidos para ensinar variedades de chocolate caseiro têm se intensificado. São propostas variações incrementadas das receitas tradicionais, para conferir estilo às iguarias, pensando em objetivos comerciais.

“Este mercado tem uma procura grande. Basta considerar o números de buffets, casamentos, festas de 15 anos e datas comemorativas que acontecem a todo o momento. Mesmo em um cenário de crise, a população não deixa de consumir doces. Nosso foco é para viabilizar negócios”, argumenta Emanuel Pinheiro, que aprendeu a arte da confeitaria na França e já soma passagens por grandes redes de hotéis e estabelecimentos do gênero.

Ele também convida profissionais da confeitaria para o curso. O especialista conta que todo o conteúdo transmitido nas aulas pode ser facilmente reproduzido em casa. “Os alunos veem que meus materiais, minhas ferramentas são caseiros e não industriais. Eu ainda dou dicas de onde eles podem adquirir os equipamentos necessários”, esclarece.

CONFEITARIA E NEGÓCIOS
O chef procura dosar seus cursos entre a arte da confeitaria e o enfoque voltado para o mundo dos negócios. “Falamos sobre como negociar o produto, como mostrar no mercado, entre outras técnicas comerciais”, explica, sobre o espaço para quem quer inovar e empreender.

Últimas de Economia