Mobilização cobra nova descida na Serra das Araras

Prefeitos da região enviarão carta ao presidente Michel Temer pedindo decisão do governo para obra que vai gerar mais de 5 mil empregos

Por O Dia

Rio - Prefeitos do Sul Fluminense e o diretor da Câmara Metropolitana do estado do Rio se juntaram a representantes da Associação Estadual de Municípios (AEMERJ) e da Firjan para protestarem, na última sexta-feira, pela realização das obras de duplicação da Serra das Araras. De acordo com comunicado feito pela Firjan, instituição que apoiou o movimento, uma carta será enviada pelos prefeitos ao presidente Michel Temer com “apelos pela obra”.

Para Edvaldo de Carvalho, presidente regional da Firjan, a mobilização é contra a demora no início da obra na Serra das Araras, ainda sem definição. “São muitos acidentes, perda de vidas, engarrafamento...Esses são alguns dos problemas. Além disso, as obras vão gerar empregos e desenvolvimento para a região e também para o Brasil. Esse gargalo é monstruoso numa das principais rodovias do país. É um obra que precisa ser resolvida. Esperamos que a mobilização possa sensibilizar as autoridades. Não pode continuar mais como está. Queremos uma definição”, afirma Edvaldo.

De acordo com a convocação, a ação é uma forma de pressão para a construção da nova pista de descida da BR 116. Com valor estimado em R$ 1,7 bilhão, a obra deve gerar mais de cinco mil empregos e ativar a economia local, além de ampliar a capacidade da via, dar mais segurança aos motoristas, reduzir o tempo de viagem e melhorar o escoamento de produtos pela via, responsável por transportar mais de 50% do PIB. O projeto já foi definido pela concessionária e espera um parecer final do governo federal, via Ministério dos Transportes. O novo traçado terá 7,7km de extensão, 17 viadutos, túnel e retorno no início e fim do novo trecho.

Um estudo elaborado pela FIRJAN e divulgado em outubro, aponta que adiar as obras na Via Dutra pode gerar custos de R$ 797 milhões com gastos logísticos extras e número de acidentes.

Prefeito de Piraí e secretário-geral da AEMERJ, Luiz Antônio da Silva Neves reforça que as melhorias na rodovia não podem mais ser adiadas por conta das perdas econômicas e sociais.

“Nossa região tem um potencial enorme para o crescimento, já que oferece infraestrutura e mão de obra capacitada, mas os problemas na Serra das Araras criam um gargalo logístico. A nova pista de descida nos deixará mais próximos do porto e criará uma linha direta até o Complexo Petroquímico, em Itaboraí”.
Também participaram das ações os prefeitos de Rio Claro e Porto Real, os secretários de Desenvolvimento Econômico de Volta Redonda, Piraí, Porto Real, Barra Mansa, Vassouras e Engenheiro Paulo de Frontin, além do assessor da superintendência de Logística de Cargas do Rio de Janeiro.

Últimas de Economia