Para atrair consumidor, desconto nos supermercados e lojas chega a 70%

Lojistas lançam estratégias para driblar a crise. Vendas recuaram 4,7% de janeiro a novembro de 2016 ante igual período de 2015

Por O Dia

Rio - Em meio a um cenário de desaquecimento e crise econômica, supermercados, lojas de shoppings e de departamentos e até farmácias oferecem promoções e descontos que variam de 17% a 70% para terem os clientes de volta. E a movimentação para aquecer os negócios não é para menos, os resultados mostram queda em praticamente todos os setores.

No de supermercados, por exemplo, não foi diferente. De acordo com o último levantamento da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), as vendas em volume de unidades recuaram 4,7% de janeiro a novembro do ano passado ante igual período de 2015. Para reverter essa tendência, as redes supermercadistas estão adotando ações para trazer o consumidor de volta.

Aposentados Amélia e Luis Vieira vão atrás de descontos progressivos para economizar nas compras%2C que deixaram de ser mensaisMárcio Mercante / Agência O Dia

“Desde o ano passado, os supermercados fluminenses vêm adotando a estratégia de aumentar o número de promoções nas lojas para garantir venda”, diz Fábio Queiroz, presidente da Associação de Supermercados do Rio (Asserj).

No supermercado Cristal, em Nilópolis, por exemplo, a estratégia é buscar melhores fornecedores para o preço cair. “Reduzimos nossa margem de lucro para oferecer desconto maior”, garante Flávio Barbosa, administrador do Cristal. Essa semana, uma das ofertas é a alcatra que sai a R$ 15,99, o quilo, e o contra-filé a R$ 16,99.

Já o Extra aposta na dinâmica “1,2,3 Passos da Economia Extra”, e dá descontos progressivos: na compra de uma unidade participante da campanha, o cliente ganha 20% de desconto; se levar duas unidades iguais, ganha 50% de abatimento na segunda peça. De acordo com a rede, são mais de mil produtos em promoção.

Marcelo e Natália aproveitam diariamente as ofertas de refrigerante para abastecer o próprio negócioMárcio Mercante / Agência O Dia

De olho nos descontos progressivos, os aposentados Amélia e Luis Vieira, 65 e 78 anos, contam ao DIA que optam por fazer pequenas compras para aproveitar as promoções. “Faço uma lista do que preciso e comparo os preços. Para evitar a ida a um mercado e outro, que representa mais gasto com estacionamento e combustível, vejo onde há mais vantagem”, orienta Amélia.

Nos descontos progressivos podem ser encontrados a cerveja Brahma Extra Lager lata de 350 mil, que sai por R$2,23 a unidade, se levar duas, fica em R$ 2,09, já no “leve 3”, custa R$ 1,86 (cada).

Donos de uma casa de festas na Tijuca, a Kiauê, Marcelo Torres, 44, e Natália Rodrigues, 24, aproveitam as ofertas diariamente. “Venho ao mercado todos os dias para abastecer a casa de festa. Aproveito promoção aqui, outra ali, e dessa forma consigo economizar”, diz Marcelo.

Promoções diferenciadas

Na rede Guanabara, a aposta é em “Dias especiais”, promoção encontrada uma seção a preço de custo. Como exemplos, Albino Pinho, diretor de Marketing da rede, lista a ‘Terça Quente’, quando padaria e laticínios estão com desconto, a ‘Quarta-feira Inteligente’, que tem frutas e legumes com preços mais baixos, a ‘Quinta Maravilha’, que oferta itens de açougue, e a ‘Sexta-feira Gostosa’, com cereais e salgados, mais em conta.

“Também trabalhamos com produtos-chave em promoção, como: cerveja, carne, frios e outros. O grande momento é o Aniversário do Guanabara, quando a rede trabalha com preços ainda mais baixos, chegando até a 60% de desconto”, afirma Pinho.

Outras redes investem na negociação

Outras redes também investem pesado em negociação para dar descontos. No Prezunic, por exemplo, o cliente encontrará descontos, em média, de 17% em mil produtos nas 31 unidades da rede até dia 28 de fevereiro. No supermercado, o saco de arroz Tio João de 5 quilos sai por R$ 15,89. Já a bisteca suína congelada está R$ 8,98, o quilo.

Já no Assaí, as ofertas são válidas para hoje e algumas se estendem até o dia 17, como o litro do leite longa vida integral e desnatado da Parmalat que sai por R$ 2,59. E quem quiser fazer comidinha especial tem o peixe salgado, tipo bacalhau polaca do Alasca, a R$22,50, o quilo.

Últimas de Economia