Preços da gasolina e do diesel serão reduzidos neste sábado nas refinarias

Petrobras estima que combustíveis ficarão R$ 0,09 mais baratos se posto repassar queda

Por O Dia

Rio - A Petrobras anunciou ontem à noite que vai reduzir os preços dos combustíveis nas refinarias a partir deste sábado. Segundo a estatal, o litro da gasolina vai baixar 5,4%, em média. Já o óleo diesel ficará mais barato 4,8%, em média. A empresa estima que se o ajuste for integralmente repassado e não houver alterações nas demais parcelas que compõem o preço ao consumidor final, o preço do diesel pode cair 3% ou cerca de R$ 0,09 por litro, em média. Já a gasolina ficará mais em conta 2,3% ou R$ 0,09 por litro, em média, para os motoristas.

Mas para o consumidor final sentir no bolso a redução é necessário que revendedoras e donos de postos repassem essa queda, o que nem sempre acontece. Na última revisão de preços, em 27 de janeiro, os preços da gasolina e do diesel cobrados nas refinarias foram reduzidos em 1,4% e 5,1% respectivamente. Os ajustes fazem parte da política de revisão adotadas pela companhia.

Para motorista sentir queda de preço%2C posto precisa repassar reduçãoDivulgação

Em outubro de 2016, a estatal reduziu em 3,2% o preço da gasolina e em 2,7% do diesel nas refinarias. No mês seguinte, fez nova redução na gasolina e diesel, respectivamente, de 3,1% e 10,4%.

Em dezembro, reverteu a tendência de queda e elevou os preços do litro da gasolina (8,1%) e diesel (9,5%). Na primeira reunião de 2017, em 5 de janeiro, a estatal manteve o preço da gasolina e elevou em 6,1% os valores do litro do diesel nas refinarias.

“A decisão é explicada principalmente pelo efeito da valorização do real desde a última revisão de preços, pela redução no valor dos fretes marítimos e ajustes na competitividade da Petrobras no mercado interno", informou ontem por meio de nota à imprensa.

De acordo com a Agência Estadão Conteúdo, a empresa reafirmou sua política de revisão de preços pelos menos uma vez a cada 30 dias, o que lhe dá a flexibilidade necessária para lidar com variáveis com alta volatilidade. Conforme a petroleira, os novos preços continuam com margem positiva em relação à paridade internacional e estariam alinhados com os objetivos do plano de negócios 2017/2021.

Últimas de Economia