Servidor: Estado paga nesta quinta RAS de agosto dos policiais civis

O pagamento será feito em meio à greve da categoria, que faz paralisação há mais de um mês

Por O Dia

Rio - O governo estadual paga hoje o Regime Adicional de Serviço (RAS) — horas extras — referente ao mê de agosto aos policiais civis do Rio. De acordo com o estado, serão depositados R$ 3 milhões referentes ao crédito atrasado. O pagamento será feito em meio à greve da categoria, que faz paralisação há mais de um mês.

Os policiais reivindicam a quitação de todos os atrasados, incluindo o 13º salário e o sistema integrado de metas, pendente desde o segundo semestre de 2015. Presidente eleito do Sindicato dos Policiais Civis do Rio (Sindpol-RJ), Márcio Garcia disse à coluna que não há previsão de término da greve. “O pagamento de amanhã (hoje) será somente das horas extras de agosto. A manutenção da greve é pelo débito de oito meses de horas extras, 13º de 2016 e gratificação de produtividade desde 2015”, afirmou.

Estado paga hoje RAS dos policiais civisDivulgação

Ele aponta ainda a falta de diálogo do Poder Executivo como mais um dos fatores para a insatisfação da categoria. “O governo estadual não negocia nem anuncia um calendário do crédito de todos os atrasados”, diz o policial.

No último dia 24, foram pagos R$ 13 milhões do RAS de agosto e setembro aos PMs. O crédito foi anunciado poucos dias após o movimento dos familiares de militares nas portas dos batalhões. Esposas e parentes tentavam impedir a saída das viaturas, o que levou algumas unidades determinarem a troca de plantão nas ruas.

O movimento SOS Polícia, liderado pelo tenente reformado Nilton da Silva, organiza um ato no próximo dia 9 (quinta-feira), às 9h, em frente à Alerj para também reivindicar pagamento do 13º salário, das horas extras ainda pendentes e por melhores condições de trabalho.

Da Silva diz que o ato é para chamar a atenção do governo para a situação da categoria. “Ocorrem assassinatos covardes de policiais e as viúvas e órfãos estão pagando o preço disso com salários parcelados”, declarou.

A manifestação ocorrerá no mesmo dia em que está agendada audiência pública na Alerj com parlamentares e o secretário de segurança, Roberto Sá. O SOS Polícia está convocando os PMs para a reunião.

Últimas de Economia