Por gabriela.mattos

Rio - O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), esteve na manhã desta terça-feira, na Câmara dos Deputados para fazer um corpo-a-corpo com os parlamentares a fim de que se aprove o projeto que trata da recuperação fiscal dos Estados. A expectativa é que a proposta seja votada nesta semana na Casa. "Conversei com diversos governadores e quase todos estão concordando com quase todas as contrapartidas", afirmou Pezão.

Na chegada à Câmara, o governador do Rio disse que outros governadores e secretários estaduais de Fazenda também irão acompanhar as negociações. O peemedebista disse que não vê obstáculos para a aprovação da matéria.

Governadores concordam com contrapartidas da recuperação fiscal, diz PezãoShana Reis / Divulgação

Pezão afirmou que a votação da recuperação fiscal dos Estados é urgente, assim como a Reforma da Previdência. Ele disse que é a favor de o governo federal passar para os Estados a prerrogativa de discutir a reforma nas Assembleias Legislativas. "Não vejo como ruim cada vez mais passar atribuições aos Estados", respondeu.

O governador disse que o prazo de seis meses para aprovação da reforma nos Estados é factível. "Para quem vai ter eleição no ano que vem, tem de ser definido esse ano mesmo", reforçou.

Pezão enfatizou que "não dá mais para esperar" para fazer os ajustes e a reforma previdenciária e negou desgaste político com servidores estaduais ao debater o tema regionalmente. "O desgaste maior é deixar o salário atrasado. Tem de mostrar que a Previdência hoje não tem como (continuar como está)", emendou.

Só no Rio, disse Pezão, mais de 60% dos servidores se aposentam com menos de 50 anos e, por isso, a legislação deve ser mudada. "Não tem Tesouro que suporte isso", concluiu.

Você pode gostar