Após 'Carne Fraca', exportações da carne caíram em volume e subiram em preço

Em abril, o resultado foi um aumento de 0,2% no valor exportado, em relação mesmo mês de 2016

Por O Dia

Brasília - O secretário de comércio exterior do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Abrão Neto, detalhou nesta terça-feira, 2, que o volume exportado de carnes - de qualquer animal - em abril deste ano caiu 13,3% em relação ao mesmo mês do ano passado, mas os preços desses produtos aumentaram 15,7% na mesma comparação.

Com isso, as vendas de carne tiveram uma média diária de US$ 59,67 milhões em abril deste ano, ante US$ 59,55 milhões de abril do ano passado. "As exportações de carnes em abril tiveram queda no volume, mas aumento de preço. O resultado foi um aumento de 0,2% no valor exportado ante o mesmo mês de 2016", completou.

Segundo ele, os efeitos da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal no dia 17 de março, sobre a venda dos produtos ao exterior devem se dissipar no período à frente. "O governo atuou rapidamente para retomar acesso aos mercados consumidores de carne, e as exportações devem voltar à normalidade nos próximos meses", concluiu.

Volume exportado de carnes caiu 13,3% Severino Silva / Agência O Dia

Bovina in natura

Em abril, as exportações de carne bovina in natura pelo Brasil tiveram um forte recuo, ainda sob efeito da operação da PF. De acordo com dados divulgados do MDIC, a quantidade de carne bovina in natura exportada pelo Brasil em abril equivaleu ao menor registro mensal dos últimos cinco anos. Os embarques das proteínas de frango e de suínos também recuaram no período.

Em carne bovina in natura foram exportadas 70,2 mil toneladas nos 18 dias úteis de abril, 19% menos ante as 86,5 mil toneladas de abril do ano passado (20 dias úteis) e 28,5% abaixo das 98,2 mil toneladas embarcadas em março último (23 dias úteis). Esse volume só não é inferior ao registrado em abril de 2012, quando o País embarcou 69,2 mil toneladas.

A receita com as vendas externas de carne bovina somou US$ 292,6 milhões, 13,7% menos do que os US$ 339 milhões obtidos em abril de 2016 e queda de 27,5% ante os US$ 403,6 milhões de março. O preço médio pago pela tonelada, por sua vez, subiu 6,4% ante abril de 2016, para US$ 4.168,20, e ficou 1,4% maior em relação à média de US$ 4.108/tonelada de março.

Frango

Os embarques de carne de frango in natura somaram 293,5 mil toneladas, 22,5% a menos ante abril de 2016, quando foram embarcadas 378,6 mil toneladas. Na comparação com março, quando o País exportou 343,3 mil toneladas, houve recuo de 14,5%. O faturamento atingiu US$ 486,9 milhões, 8,2% abaixo dos US$ 533,2 milhões registrados em igual período de 2016 e de 15% em relação à receita de US$ 571 milhões de fevereiro. O preço médio da tonelada embarcada, de US$ 1.659, ficou 18% acima em relação ao registrado em igual período de 2016, mas 0,2% abaixo do de março

Carne Suína

As vendas externas de carne suína in natura totalizaram 44,5 mil toneladas, 16% abaixo das 52,9 mil toneladas embarcadas em abril de 2016 e tiveram queda de 19% ante as 54,8 mil toneladas de março. A receita somou US$ 120,9 milhões, alta de 21% ante o registrado em igual mês do ano passado, mas queda de 12,6% ante março. No mês passado, o preço médio da tonelada ficou em US$ 2 714, alta de 43,6% ante abril de 2016 e de 7,6% ante março.

Acumulado

Nos quatro primeiros meses de 2017, as vendas de carne bovina totalizaram 334,86 mil toneladas, ante 374,98 mil toneladas em igual período do ano passado (-10,7%). Já o faturamento ficou em US$ 1,374 bilhão este ano, valor 5% menor que o US$ 1,445 bilhão obtido entre janeiro e abril de 2016.

Sobre as vendas externas de carne de frango in natura, houve queda de 4,4% no volume acumulado até abril, no comparativo anual, para 1,263 milhão de t (ante 1,321 milhão toneladas). Em faturamento, o avanço foi de 14,6%, de US$ 1,821 bilhão para US$ 2,087 bilhões.

Também no acumulado do ano, as exportações de carne suína in natura avançaram 40,1%, atingindo US$ 486,45 milhões ante US$ 347,17 milhões em 2016. Em volume, o avanço foi de 3%, passando de 192,6 mil toneladas para 198,03 mil toneladas.

Últimas de Economia