Presentes das mães mais caros

O aumento em relação ao ano passado supera a inflação acumulada em 12 meses

Por O Dia

Rio - Os preços dos presentes e serviços ligados ao Dia das Mães, comemorado no próximo domingo, subiram, em média, 4,76% este ano, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV). O aumento em relação ao ano passado supera a inflação acumulada em 12 meses, que atingiu 4,17%, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da FGV.

De acordo com a pesquisa, os preços dos serviços subiram bem mais do que os bens duráveis. Itens como computador, celular, aparelhos eletrodomésticos e eletrônicos não tiveram aumento acima da inflação média.

“Em termos reais, eles não subiram de preço. Alguns até tiveram taxa negativa”, disse o coordenador do IPC do Ibre, André Braz.

No entanto, segundo Braz, os bens duráveis, embora não tenham apresentado aumento de preço, têm valor final maior. De acordo com o Ibre, a inflação do segmento de serviços acumulada em 12 meses alcançou 6,41%, enquanto a de presentes subiu 2,4%. Os que mais contribuíram para a alta de preços foram teatro (36,66%), show musical (9,79%) e cinema (6,91%).

Em relação aos itens procurados para presentear, a pesquisa mostra que as maiores altas ocorreram nos preços de perfumes (7,92%), ventiladores (7,45%) e liquidificadores (7,28%). Em contrapartida, caíram de preços celulares (-4,05%), roupas (-1,27%) e máquinas fotográficas (-0,12%).

Últimas de Economia