País tem dia de dor, com alta do dólar e ranger de dentes na Bovespa

Com alta de 8,15%, dólar registrou maior índice em 18 anos. Eletrobras , Banco do Brasil e Petrobras apresentaram queda entre 15 e 20%

Por O Dia

Rio - Após a revelação de conversas do presidente da República, Michel Temer, com um dos donos da JBS, que o teria gravado avalizando a compra de silêncio de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, o dólar disparou e fechou em alta histórica de 8,15%, sendo comercializado a R$ 3,39. O resultado é a maior valorização da moeda americana frente ao real em 18 anos. No acumulado, a Bolsa encerrou com queda de 8,8%, a 61.622,25 pontos.

O mercado de dólar, que normalmente abre às 9h, só abriu às 10h40, com investidores esperando para negociar a moeda. Pouco antes disso, por volta das 10h21desta quinta-feira, a forte queda nas ações da carteira Ibovespa acionou o circuit breaker. 

Principais quedas

As ações da Eletrobras e Cemig caíram mais de 20% cada. Bradesco e Itaú também tiveram grande desvalorização na bolsa, beirando os 13%. A Petrobras e a construtora Cyrella, também registraram queda expressiva, 15,76% e 16,26% respectivamente. Outras empresas como Gol, Azul

Circuit breaker

A Bolsa suspendeu as negociações nesta manhã por um período de meia hora, numa primeira interrupção. Circuit breaker é um mecanismo utilizado pela Bovespa que "segura" a compra e venda de ações para evitar perdas muito bruscas. É como se fosse um "escudo" para blindar o mercado de ações.

Segundo a assessoria de imprensa da B3, essa é a primeira vez desde 22 de outubro de 2008, no auge da crise financeira global, que a suspensão de meia hora é acionada.

O circuit breaker foi acionado quando o Ibovespa marcou 60 470,22 pontos em queda de 10,47% perto do horário acima.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Últimas de Economia