Mantida em baixa classificação de risco

Crise faz agência segurar nota do país

Por O Dia

Rio - O Ministério da Fazenda justificou ontem que a decisão da agência de classificação de risco Fitch, que manteve a nota de crédito do país em baixa, reforça a importância das iniciativas do governo para a recuperar a economia brasileira e construir as bases para o crescimento sustentado.

“O Ministério da Fazenda reafirma seu compromisso com a busca da consolidação fiscal do país e a sustentabilidade da dívida pública”, informou a pasta. Ontem, a agência manteve em BB a classificação de longo prazo do Brasil, em moedas estrangeira e local. Já no curto prazo em moedas estrangeira e local foram reafirmadas em B.

O teto do país, por sua vez, continua sendo BB+. Além disso, a Fitch manteve a perspectiva negativa, devido a contínuas incertezas sobre a recuperação econômica e sobre o progresso da agenda legislativa.

Outra agência de classificação, a Moody’s, também avaliou ontem que as alegações envolvendo o presidente Michel Temer e o dono da JBS, Joesley Batista, prejudicam a perspectiva de crédito do Brasil, “ameaçando paralisar ou reverter o positivo momento político e econômico observado recentemente”. 

Últimas de Economia