Nelson Vasconcelos: não dê chance para a pilantragem

Ataque de vírus poderia ter sido muito pior, mas já foi o bastante para dar dor de cabeça a quem teve seus dados roubados

Por O Dia

Rio - Um ataque do vírus WannaCry afetou nada menos que 300 mil computadores, em todo o mundo, desde o último dia 12. Veja no mapa acima que ele fez a festa em muitos países, inclusive o nosso Brasilzão.

Poderia ter sido muito pior, mas já foi o bastante para dar dor de cabeça a quem teve seus dados roubados. Os pilantras que criaram o vírus pediram entre US$ 300 e US$ 600 de resgate para devolver o material surrupiado das máquinas afetadas.

Como de costume, a ação se aproveitou dos vacilos cometidos por nós, usuários como você e eu, que não damos a devida atenção à segurança das nossas máquinas. Ficam aqui, então, três dicas muito importantes para quem quer se sentir seguro. É melhor perder tempo com essas coisas do que chorar depois...

1. Chato, muito chato, mas você tem que manter o Windows atualizado. Não tem jeito. Os pilantras sempre se aproveitam das falhas de segurança do Windows, que é o sistema operacional que roda a maioria dos computadores. Fazer o quê? O negócio é encarar alguns longos minutos deixando a máquina trabalhando na atualização do sistema.

2. Fuja dos arquivos anexos enviados por quem você não conhece. É um mandamento antigo, mas as pessoas continuam cedendo à curiosidade e, com isso, vão se dando mal. Vale também para aqueles links que prometem boas novidades, grana fácil. Desconfie de toda mensagem alarmista e, sobretudo, de bons negócios que caem do céu. Isso não existe. É furada. Essas armadilhas costumam chegar via e-mail, SMS, WhatsApp etc. Todos os caminhos levam a pilantragens.

3. E por fim, antivírus ou firewall, claro.

Últimas de Economia