Por thiago.antunes

Rio - As manifestações de ontem contra o presidente Michel Temer, em Brasília, que contaram com diversos pontos de conflitos, bombas e focos de incêndios em ministérios, foram ignoradas em um primeiro momento pelo mercado financeiro. Mas acabou se refletindo nos mercados de câmbio, que, por sua vez, contaminou a Bovespa.

O mercado de ações reagiu de forma positiva e fechou em alta de 0,95% aos 63.257,35 pontos. O Ibovespa atingiu a máxima do dia (2,16%) após a divulgação da ata de política monetária do Fed. No documento, os dirigentes do BC dos Estados Unidos pareceram concordar em elevar a taxa básica de juros “em breve”.

Já o dólar fechou em alta em relação ao real ontem, com os investidores de olho no rumo das reformas econômicas no Congresso em meio à crise política brasileira. A moeda norte-americana subiu 0,39%, cotada a R$ 3,2791.

Na reta final do pregão, o dólar chegou a bater R$3,2833, segundo a agência Reuters, após as fortes manifestações contra o presidente, com ataques a ministérios em Brasília. Na mínima da sessão, a moeda norte-americana foi a R$ 3,2487, quando os investidores ainda tinham a percepção de que a crise política envolvendo Temer não impediria a tramitação das reformas no Congresso Nacional.

Você pode gostar