PEC da Previdência atrasará mais tempo

Crise política vai afetar a tramitação

Por O Dia

Rio - A aprovação da Reforma da Previdência pode demorar mais tempo que o previsto pelo governo. A afirmação é do secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida. O secretário ontem admitiu que a crise política que se abateu sobre o governo Temer pode atrasar a aprovação da PEC 287 em semanas ou um período maior.

Mansueto lembrou que até a quarta-feira da semana passada a avaliação era de que havia condições para que fosse aprovada em mais duas semanas.  “Pode ser em uma, duas, três ou mais depende da sensibilidade política. Eventualmente pode ser mais, o importante é que seja aprovada”, afirmou.

Mansueto disse, segundo a agência Estadão Conteúdo, que até abril a discussão era em torno da PEC, mas que mudou em 30 dias.  

“O projeto deixou de ter debate, ficou mais um debate político para se construir maioria. Agora tem que ver se a base que estava sendo criada e estava muito próxima de chegar ao número mínimo continua. Votações a cada dia são um teste”, afirmou.

Últimas de Economia