Correios terá mudança em plano de saúde dos funcionários

Medida é para ajudar a cobrir o prejuízo de R$ 1,3 bilhão que a empresa deve fechar este ano

Por O Dia

Rio - A direção dos Correios vai propor mexer no plano de saúde dos funcionários. A ideia é que a empresa, que hoje custeia, em média, 93% dos planos de empregados, estendendo o benefício aos familiares como cônjuges, filhos e pais, concentre-se em pagar 100% do benefício, porém apenas para os ativos e aposentados, excluindo os parentes. A medida é para ajudar a cobrir o prejuízo de R$ 1,3 bilhão que a empresa deve fechar este ano.

A estimativa do rombo foi apresentada pelo presidente da estatal, Guilherme Campos, em uma reunião na última terça-feira, no Palácio do Planalto. Se confirmada, será o quinto ano consecutivo em que a companhia fechará no vermelho. Nos primeiros quatro meses deste ano, o prejuízo acumulado é de R$ 800 milhões.

“A única proposta hoje na mesa é essa: assumimos 100% do custo dos funcionários na ativa e dos aposentados e 15% do resultado do lucro da empresa iria para a folha de pagamentos para que os empregados optem por contratar com desconto o plano de parentes”, afirmou Campos à agência Estadão Conteúdo.

Campos defende acordo com funcionários. A explicação para o alto custo do plano de saúde era justamente a inclusão dos pais dos empregados na cobertura. A proposta da estatal representaria economia de um terço do déficit, ou cerca de R$ 600 milhões, segundo o executivo.

Últimas de Economia