Mais Lidas

Desempregada dorme em fila para ter trabalho

Centenas de pessoas disputam vagas

Por thiago.antunes

Rio - Fila quilométrica, noite mal dormida e chuva. Vale passar por qualquer sufoco para tentar uma vaga de emprego. Ontem, o cenário em volta do Sindicato das Telecomunicações (Sinttel-Rio), na Tijuca, com fila dobrando a esquina, revelava o desespero de centenas de trabalhadores em busca de oportunidade.

Primeira da fila%2C Michele levou cadeira de praia para passar a noiteSeverino Silva / Agência O Dia

A entidade abriu o espaço para o cadastro de candidatos em 600 vagas nas áreas de auxiliar de serviços gerais; auxiliar de loja; operador de Telemarketing; vendedor; motorista de ônibus; vigia e porteiro. A seleção foi promovida pela Comunidade Católica Gerando Vidas.

Houve quem chegasse um dia antes para garantir a chance de entregar o currículo. Foi o caso de Michele Galdino da Silva, 36. Desempregada há 5 meses, a moradora de Campo Grande foi a primeira da fila — estava lá desde às 12h de terça — e dormiu no local. “Faço trabalhos ‘picados’, mas preciso de carteira assinada e pagar contas e aluguel”.

A dificuldade é constatada pelos dados do Caged divulgados ontem, que mostraram que o Rio de Janeiro perdeu, em maio, 5.583 postos formais de trabalho. Ao todo foram abertas 34.253 novas vagas no país.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia