Servidores protestam na Câmara de Caxias

Funcionalismo tenta impedir que projetos sejam encaminhados para votação de parlamentares da Casa

Por O Dia

Rio - Servidores da Educação de Duque de Caxias fazem uma manifestação, na noite desta quarta-feira, na Câmara Municipal de Caxias, após dois projetos de lei que alteram direitos e salários dos funcionários públicos serem encaminhados para votação dos vereadores da Casa em regime de emergência.

Servidores protestam na Câmara de CaxiasWhatsApp O DIA (98762-8248)

De acordo com o Sindicado Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe-RJ), centenas de servidores lotam a Câmara para protestar contra os dois textos. Com as novas propostas, enviadas ao prefeito Washington Reis (PMDB), os profissionais do funcionalismo de Duque de Caxias perderão a diferença de 12% entre os níveis de formação, além de terem um acréscimo de 3% à contribuição previdenciária. 

Os servidores se aglomeram no local para evitar que os projetos não sejam votados hoje pelos parlamentares. O clima é tenso e, de acordo com o Sepe-RJ, as propostas foram encaminhadas sem a realização de audiências públicas para a discussão dos textos.

Rose Cipriano, coordenadora do Sepe de Caxias, disse que a intenção do ato é estabelecer um diálogo com o prefeito. "Ele enviou os projetos sem ouvir os servidores. Nosso medo com essas propostas é de haver uma redução dos nossos salários, já que um texto aumenta a alíquota previdenciária e o outro mexe com nosso plano de cargos e salários, dimiuindo de 12 para 6% a diferença entre os níveis de formação".

Os professores farão uma plenária para decidir se passarão a noite no local. A sindicalista ressaltou que todos estão apreensivos com uma possível convocação de sessão extraordinária nessa sexta.

Últimas de Economia