Nelson Vasconcelos: tem gente com medo do fim do mundo

As novas tecnologias vão deixarmuitas pessoas desempregadas nas próximas décadas

Por O Dia

Rio - Esta coluna entra de férias a partir da semana que vem. É uma parada técnica obrigatória, nada radical. Radical mesmo é o Antonio Garcia Martínez, um ex-executivo do Facebook que resolveu se isolar do mundo numa ilha próxima à cidade de Seattle, nos Estados Unidos, quase na fronteira com o Canadá. Crente que a “revolução digital” passou dos limites e vai provocar muitas mudanças drásticas para a civilização, ele largou o trabalho e está se preparando para o pior que pode acontecer nos próximos anos.

Martínez diz que já estamos próximos a um “apocalipse tecnológico”, como declarou à agência inglesa de notícias BBC. As novas tecnologias, na visão dele e de muita gente bem informada, deixarão muitas pessoas desempregadas nas próximas décadas, e o conflito, segundo Martinez, será inevitável.

Foi por isso que ele decidiu morar na tal ilha perto do Canadá, ao lado apenas de um gerador de energia, uma barraca e poucos acessórios que o ex-executivo do Facebook considera indispensáveis — o que inclui também um fuzil AR-15, que ele manipula com muita destreza. Martínez realmente tem medo da revolução que será provocada, daqui a 30 anos, por milhões de trabalhadores desempregados graças à tecnologia.

Por via das dúvidas, é melhor não pagar pra ver. Todos aqui já andamos mergulhados numa crise que não tem diretamente a ver com os progressos tecnológicos.

Mas uma coisa é certa: quem não estiver preparado para entender as máquinas e a internet terá muito mais dificuldade para lidar com o mercado — seja ele qual for.

A dica da coluna, portanto, não é muito diferente daquela que todos os pais responsáveis vivem falando para os seus filhos: estudem. Estudem. Estudem.

Aprender a programar, por exemplo, já deveria ser um item básico na educação de qualquer criança. Mesmo que não seja para viver disso. 

Últimas de Economia