Servidor: cestas básicas excedentes serão distribuídas

Ao todo, serão doados 450 kits a partir das 9h no Sind-Justiça, que fica na Travessa do Paço 23, Centro do Rio

Por O Dia

Rio - Hoje haverá distribuição do excedente de cestas básicas arrecadadas pela campanha do Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe). Ao todo, serão doados 450 kits a partir das 9h no Sind-Justiça, que fica na Travessa do Paço 23, Centro do Rio. Desde que a ação solidária foi retomada, em julho, 9.264 cestas foram entregues.

A iniciativa começou em dezembro de 2015, quando ativos, inativos e pensionistas do estado passaram o Natal com atrasos salariais. Na ocasião, mais de cinco mil cestas foram doadas. Em julho, o Muspe decidiu fazer novamente a campanha diante da espera pelos pagamentos dos vencimentos de maio e junho.

“Será o último dia da ação. Estamos felizes pois conseguimos amenizar o sofrimento das pessoas quando muitas estavam há três meses sem salário. A campanha foi importante porque mostrou a realidade dos servidores do estado. Aguardamos agora que o governo restabeleça o calendário de pagamento”, declarou o integrante do Muspe, Ramon Carrera, que é um dos diretores do Sind-Justiça.

Na última quinta-feira, o Muspe levou a ação novamente à Zona Oeste: 358 pessoas com vínculos com o Executivo do Rio — muitas aposentadas — buscaram os alimentos em Bangu. 

DÉCIMO TERCEIRO

O movimento do funcionalismo estadual segue cobrando o pagamento do décimo terceiro de 2016 para 227 mil pessoas (com vínculos com o estado). O valor líquido que está em aberto é de R$ 1,2 bilhão. Além disso, os sindicalistas ressaltam a necessidade de adotar um calendário único para o crédito dos vencimentos de ativos, aposentados e pensionistas, independente da categoria, em dia. 

NEGOCIAÇÕES

Para quitar o 13º e garantir estabilidade no pagamento dos próximos salários, o governo do estado afirma que depende da adesão ao Regime de Recuperação Fiscal. Porém, as negociações com a União ainda seguem. Conforme a coluna mostrou ontem, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional cobrou ajuste na lei do FEEF e o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, foi a Brasília para apresentar o texto já sancionado. 

VOTAÇÃO NA TERÇA

A Comissão de Orçamento da Alerj votará, terça-feira, as contas de 2016 do governo estadual. O TCE chegou a recomendar a rejeição do balanço orçamentário, que teve diversos problemas, entre eles estouro do limite de gastos com pessoal — do Executivo e na soma de todos os Poderes — e de endividamento. O estado não cumpriu o gasto mínimo com a Saúde, previsto na Constituição. 

PARECERES

Edson Albertassi (PMDB) entregou ontem a membros da comissão parecer favorável às contas. O voto divergente é de Luiz Paulo (PSDB). Entre seus argumentos, Albertassi destacou trecho da análise do TCE e indicou a queda de receita, principalmente na Previdência (redução de R$ 8,7 bi nas despesas pagas com royalties e participações especiais), levando o Tesouro a arcar com esse ônus. 

LEILÃO ADIADO

A Prefeitura do Rio adiou o leilão da folha de pagamentos do município, que ocorreria ontem. A Fazenda afirmou que a decisão foi administrativa e “relacionada a questões judiciais que impactam nas regras do edital”. Na ação popular contra o leilão, a PGM ressaltou “a necessidade de reembolsar o valor adiantado pelo Santander, sob pena de caracterizar enriquecimento ilícito”. 

BOATO NA REDE

Atenção, servidores ativos e aposentados do Município do Rio. Corre nas redes sociais um boato de abertura de inscrição para o Programa de Financiamento Imobiliário do Previ-Rio. A autarquia negou a iniciativa, e alertou que isso não passa de uma notícia antiga, de 2005. Na imagem divulgada nos grupos, inclusive, aparece um endereço da página da prefeitura que nem existe mais.

Últimas de Economia