Preço de aluguéis no Rio registra queda média de 10,6%

Leblon é o bairro mais caro da cidade, com R$ 57,89 o metro quadrado. Já o valor mais baixo está na Praça Seca, sendo R$ 13,11 o m²

Por O Dia

Rio - Quem procura imóvel usado para alugar no Rio esta é a hora. Levantamento feito por uma plataforma digital, o DMI-VivaReal (Dados do Mercado Imobiliário), relatório setorial do mercado imobiliário, mostra que o preço nominal médio do metro quadrado (m²) para aluguel na cidade ficou em R$ 30,21 no terceiro trimestre de 2017, queda de 10,6% em comparação ao mesmo período de 2016 (R$ 33,78).

O Leblon (R$ 57,89/m²) foi o bairro mais caro para locação de imóveis e está 91,62% acima da média da cidade. Já o valor mais baixo foi encontrado na Praça Seca, a R$ 13,11 o m², seguido de Campo Grande (R$ 14,44).

A maior parte dos preços mais baixos da cidade está na Zona Oeste, conforme mostra a pesquisa. O metro quadrado em Vargem Grande e Vargem Pequena estão em R$ 17,06, e R$ 18,25, respectivamente. Somente dois bairros da Zona Norte apresentaram valores em queda: Méier (R$ 18,33) e Vila Isabel (R$ 20,33).

Para Leonardo Schneider, vice-presidente do Sindicato da Habitação do Rio (Secovi-Rio), a queda de 10,6% no valor das locações representa bem o que o mercado vive hoje, com excesso de imóveis para alugar e uma demanda bem reprimida em relação a quem vai alugar. Principalmente, segundo Schneider, por conta de toda conjuntura pela qual o Brasil e, mais focado no Estado do Rio de Janeiro atravessa. "Alta da violência, queda na confiança para investir, e indefinição da política-econômica que ocorre no país impactaram negativamente o mercado imobiliário", avalia.

Mas nem tudo está perdido. Com esse excesso de oferta fica mais fácil o poder de barganha para o inquilino. "Na hora de procurar um imóvel para alugar é preciso ter paciência, calma, muita tranquilidade. Além de olhar várias opções, justamente por causa da quantidade de imóveis disponíveis no mercado antes de fechar contrato", orienta Schneider. E acrescenta: "O proprietário sabe disso. Então ele vai fazer de tudo para oferecer melhores condições para alugar o imóvel"."É preciso observar o estado do imóvel, como instalação elétrica,parte hidráulica, se tem carpete, estado de armários, tudo isso pode ser negociado com o dono do imóvel, caso precise de benfeitorias. Inclusive pode ser pedido um período de carência no caso de o imóvel precisar de reformas", diz.

Já para quem está com imóvel alugado, no caso de ter contrato mais antigos, Schneider diz que é possível, inclusive, negociar a redução do preço. "Antes de mais nada faça um levantamento dos valores pagos pelos outros inquilinos no prédio que mora, na rua. Se for o caso, negocie a redução do aluguel", incentiva.

Últimas de Economia