Aplicativo reúne oportunidades de trabalho para autônomos

ONG Viva Rio criou ferramenta gratuita para celular que conecta profissionais e empregadores

Por O Dia

Rio - No atual cenário de crise econômica e altos índices de desemprego no país, um novo aplicativo para celular surge como ferramenta poderosa para o trabalhador autônomo. Lançado pela ONG Viva Rio em uma ação na praia de Copacabana na última segunda-feira, Dia do Trabalhador, o ‘Viva Pro’ aproxima clientes de prestadores de serviços nas mais diversas áreas. Com simples toques na tela do smartphone, o usuário pode localizar um pedreiro, um eletricista, um advogado ou qualquer outro profissional. Em apenas três dias, 1.188 profissionais se cadastraram no aplicativo para celular. Os criadores do projeto estimam que o número de cadastrados possa passar de 1 milhão nos próximos dois anos.

Aplicativo 'Viva Pro' pode ser baixado para Android e iOS ou ainda acessado pelo site vivapro.org. É gratuito.Arte sobre foto de Vitor Madeira

O ‘Viva Pro’ é gratuito e funciona da seguinte forma: após fazer o cadastro, o cliente informa o serviço de que necessita no menu ‘Solicitar Serviços’. Com base no CEP do usuário, o aplicativo notifica 25 profissionais que atuam na região para que eles enviem orçamento. Alexandre Fernandes, idealizador do projeto e diretor regional da ONG Viva Rio em Macaé, dá a dica: “Os que enviarem proposta primeiro têm mais chances de fechar negócio”, orienta.

Para o prestador de serviço, além do cadastro básico, é necessário o usuário clicar no botão ‘Torne-se Pro’ para criar seu perfil profissional: “Aqui, a dica é montar um perfil profissional interessante e atraente”, recomenda Fernandes. As inscrições mais comuns são de profissionais ligados a eventos, reformas em geral, saúde e bem estar. “É uma forma simples e rápida de qualquer pessoa encontrar o serviço ou o profissional que procura. Ao facilitar o contato entre o cliente e o profissional, o ‘Viva Pro’ pode impactar positivamente, e de forma imediata, a alta taxa de desemprego no país”, analisa o diretor da ONG.

Variedade de profissões

Ao todo, 150 tipos de profissionais podem ser encontradas no aplicativo. A maior incidência de profissionais cadastrados está concentrada na Zona Oeste do Rio, nos bairros de Campo Grande, Bangu e Realengo.

Ao todo%2C 150 tipos de profissionais podem ser encontradas no aplicativoDivulgação

Para Alexandre Fernandes, o principal benefício do aplicativo é dar autonomia ao profissional para que ele negocie diretamente com o cliente. “É uma lógica que está de acordo com o momento que o Brasil vive hoje: ao mesmo tempo que o desemprego aumenta, o número de profissionais que atuam de forma autônoma cresce cada vez mais. O aplicativo veio ajudar essas pessoas”.

Para ilustrar, Alexandre Fernandes cita números recentes divulgados pelo IBGE. Segundo o instituto, há 14,2 milhões de desempregados no país: a maior taxa verificada desde a sequência histórica de 2012. Os dados se referem ao primeiro trimestre deste ano. “Enquanto isso, o mercado de profissionais autônomos se fortalece. Hoje eles representam 36% do total de empregados no Brasil”, acrescenta Fernandes.

A intenção dos idealizadores do ‘Viva Pro’ é que o aplicativo se popularize na capital. E, a partir daí, atinja relevância em outras cidades do estado do Rio. “Esse movimento já está acontecendo, pois fomos contatados por secretários de outras cidades, pedindo informações sobre o aplicativo. A parceria com as prefeituras vai ser essencial para o crescimento do projeto”.

O serviço

O aplicativo ‘Viva Pro’ pode ser baixado na loja de aplicativos do seu celular ou acessado pelo site www.vivapro.org. Ao fazer o cadastro, o usuário informa o tipo de profissional, o prazo de realização e a descrição do serviço de que precisa.

A negociação é feita entre o cliente e o profissional sem qualquer ingerência do aplicativo, que apenas aproxima as partes interessadas. A forma de pagamento é estabelecida entre o cliente e o profissional. Usuários podem tirar dúvidas pelo site.

Nos primeiros dias de funcionamento do aplicativo, houve maior incidência de profissionais cadastrados na Zona Oeste. Ao se cadastrar, o profissional deve informar em que regiões da cidade está disposto a atuar. As informações serão confrontadas com o CEP dos clientes. Caso o cliente não encontre o serviço que procura entre as categorias listadas, ele pode escolher a opção ‘Outros’ no menu ‘Solicitar Serviços’ e, em seguida, descrever o que necessita.

Reportagem de Bernardo Costa

Últimas de _legado_Empregos e Negócios